Isabella Taviani traz ‘A Máquina do Tempo’ à Salvador: ‘Era merecido retornar à Bahia’


Foto: Divulgação

A Bahia está na veia de Isabella Taviani. Embora tenha nascido carioca, a cantora passou boa parte da adolescência em Salvador. Filha de uma pianista e neta de um cantor de ópera, a artista retorna à boa terra com a sua nova turnê: “A Máquina do Tempo”, nome também do seu novo álbum.

O oitavo disco da artista nasceu em 2020, pouco antes da pandemia e pregou uma verdadeira peça na autora. Por causa do lockdown em que todo o país teve de se adaptar, a cantora não conseguiu trabalhar o disco da maneira que gostaria e só agora conseguiu cair na estrada apresentando o tão aguardado espetáculo.

“O nome do disco já me pregou uma peça. O tempo parou com a pandemia. Tava planejando lançar o álbum, sair em turnê, mas de repente tudo parou. Na semana do show a gente teve aquele lockdown. Eu fiquei arrasada. Aí a expectativa era de que a gente voltasse há um mês, dois meses, e aconteceu o que aconteceu. Em janeiro de 2022, quando íamos finalmente se apresentar, eu tive a Covid”, explicou ela em entrevista exclusiva ao iBahia.

“A turnê foi muito sofrida e difícil. Por um lado foi bom pois pude aproveitar a maternidade, meus filhos e eu fiquei em casa aproveitando esse crescimento deles. Por outro lado é uma coisa estranha porque é um disco novo, velho. Ele perdeu o seu tempo nesse estado paralisado em que ficamos”, pontuou.

A expectativa para a apresentação deste sábado (29), às 21:30, na Pupileira, em Salvador, é grande. Afinal, os fãs e a própria artista esperam por esse encontro há um tempo. Durante o papo, Taviani revelou que o repertório montado vai contar com todas as músicas do novo trabalho e também com as clássicas.

Para o evento se tornar ainda mais especial, a baiana Tathi e a esposa de Taviani, a cantora e compositora Myllena, vão se apresentar com a estrela da noite.

“Voltar depois de tanto tempo, apresentar esse espetáculo que é tão significativo no processo da minha carreira. Conseguimos um apoio grande com a Irá Carvalho, ela abraçou a proposta do evento e Salvador merecia entrar no meu roteiro. Era merecido retornar à Bahia com um show grande”, disse ela.

“Vou apresentar todas as músicas do novo álbum e todos os outros clássicos como “Diga Sim Pra Mim”, “Luxúria”, “O Último Grão”, “A canção Que Faltava” estarão presentes. Além de tudo isso, minha parceira querida, a Tathi, também vai cantar comigo. Somos muito amigas. Já que eu trouxe toda a família pra cá, a Myllena também vai cantar comigo. A gente vai cantar “Luar de Prata” e estamos preparando mais um número também”, adiantou Taviani.

A fim de se abrir para um novo momento na carreira, a artista lançou recentemente seu novo single: “Repito”. A canção inédita fala de amores, paixões e traz um arranjo diferente do que a artista é habituada em fazer.

“Nessa canção em específico fiz uma coisa inédita, entreguei o projeto todo na mão do meu produtor. E ele me vem com essa coisa dos anos noventa e eu fiquei ‘não, essa não sou eu’, mas aí a Milena destacou que ele me apresentou o que eu realmente pedi: o novo. Eu tô ali, o texto é meu, falo sobre amores, mas tudo que envolve ali é diferente. Essa música está me tirando da zona de conforto e me levando para um outro lugar”, disse.

“Eu percebi que eu não devo lançar mais álbum e entrar na onda de todo mundo lançando single a single. É o que eu fiz com ‘Repito’. Agora eu pretendo lançar um, depois mais um, faço um ep e aí já nasci um álbum”, contou.

Projeções para 2023

No próximo ano, a cantora de 54 anos completará 20 anos do lançamento do seu primeiro álbum. Ela adiantou que já está planejando fazer uma turnê especial para celebrar as duas décadas do disco Isabella Taviani, editado em 2003.

“Eu canto há uns 35 anos, fui cantora da noite, eu fazia shows, é meu primeiro álbum ele chegou muito tardia. Quando eu lancei devia ter uns 33 anos de idade. Para mim eu tinha essa coisa de ‘nossa, estou muito velha para ficar nessa’ e o Torquato Mariano falava pra mim que tudo tinha o seu tempo. E a gente olha aí longo da minha carreira e a gente vê esse amadurecimento muito latente. Eu fui uma artista independente, depois fui pra uma multinacional e agora voltei a ser independente”.

“Esses 20 anos de carreira fonográfica merece uma comemoração. Já estou projetando o show, procurando um diretor, estou me aliando a pessoas que tem a mesma linguagem que eu. Vou buscar que esse show seja primoroso é que a gente tenha um registro bonito que fique da minha obra. Esses singela que eu vou lançar certamente entrarão no setlist do show de 20 anos. Eu tenho que comemorar esses fãs fiéis”, completou ela.

SERVIÇO:

Quando: 29 outubro (sábado)
Onde: Pupileira (Av. Joana Angélica, nº 79. Nazaré
Horário: 21h30

Leia mais sobre Música no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.