Selo baiano de qualidade: hino dos desesperados, viral do TikTok é de autoria de Mr. Galiza; conheça


O sentimento de desespero ganhou uma nova forma de ser expressada nas últimas semanas e se você é usuário assíduo da internet, com certeza já ouviu o clamor: “Meu Deus, meu senhor, me ajuda por favor”.

A canção, que viralizou nas redes sociais para se referir as mais diversas situações de perrengue, e se tornou uma espécie de hino no TikTok, tem o selo baiano de qualidade e já rendeu ao cantor uma campanha nas redes sociais com a Netflix.

Lançada por Mr. Galiza em 2014, a canção ‘Zap Zap’ fala sobre o vício da época, o WhatsApp, que atualmente vem dando dor de cabeça para os usuários da plataforma com tantas atualizações.

Com direito a clipe gravado na Cidade Baixa, Galiza conta com o apoio de um grupo de dançarinos uniformizados com a marca do aplicativo de Mark Zuckerberg. No vídeo, o cantor ainda tem a participação do humorista João Pimenta e de outros nomes da comédia baiana.

A versão original do clipe foi derrubada pelo YouTube com mais de meio milhão de views.

Natural da capital baiana e residente do município de Mata de São João, o cantor, produtor, empresário e empreendedor rural, Mister Galiza, 42 anos, contou ao iBahia sobre a viralização da faixa quase 8 anos depois de seu lançamento.

Galiza, para quem ainda não está ligando o nome a voz, é responsável por outros grandes hits que viraram meme na Bahia como ‘Cadê Coco’ e ‘Ai Como Tô Bandida’.

“Nós lançamos esse clipe com um orçamento muito baixo, porque na época eu tinha acabado de sair do local de onde eu era sócio e assumi minha carreira solo como Mr. Galiza. Antes de escrever o Zap Zap, eu já estava sendo conhecido como o “Imperador dos Hits”, porque da minha voz e da minha caneta saíram ‘Cadê Coco’, ‘Ai Como Tô Bandida’ e ‘Cara de Miseravão'”, conta.

Apesar do bônus, Galiza não deixa de pontuar o ônus do sucesso na web: a falta dos direitos como compositor. Algo que aconteceu com ‘Zap Zap’, que viralizou recentemente. Segundo o baiano, a música na versão que estourou no TikTok foi fruto de uma ação ilegal, já que os créditos da mixagem não foram devidamente dados.

“Essa versão que está rodando o Brasil, existe algo muito grave acontecendo. Uma pessoa em 2017 pegou essa música e remixou, fez uma mistura, pegou um vídeo de um jogo de oito anos atrás, tirou o áudio original desse vídeo e colocou a batida de um trap de XXX Tentation, e colocou minha letra e minha voz. A minha luta é que o YouTube concedeu que esse cara subisse a música nas plataformas, desconhecendo que a minha já existia. A falta de controle e sensibilidade com o produtor já começa daí, o algoritmo é muito vulnerável”.

Foto: Divulgação

Por conta desta história, Galiza, que é compositor de grandes sucessos ‘Nível de Carência’ (Pablo) e ‘O Choro É Livre’ (Tayrone), não fatura nenhum centavo com a viralização da canção. “E o pior. Eu que sou o dono da obra, tenho que provar, com uma dificuldade absurda que a música é minha”, afirma o artista que ainda não está sendo auxiliado juridicamente sobre o caso.

Do lado do bônus, o meme trouxe ainda mais visibilidade para o artista, que atualmente toca o projeto ForróGode, já em sua terceira edição. O show coloca clássicos do Forró no ritmo do pagodão.

“Eu voltei a minha agenda semanal de shows, o foco é o ForróGode do Imperador. Ainda estou me situando no que está acontecendo de verdade, mas me sinto pronto para o que vier acontecer”.

Leia mais sobre Música em iBahia.com e siga o Portal no Google Notícias.

Veja também: