‘Toca Raul!’: um grito que atravessa gerações


Foto: Divulgação

Quem frequenta shows de rock no cenário brasileiro bem sabe, vira e mexe alguém vai aparecer gritando: “Toca Raul!”. O grito é tão famoso, que inspirou até mesmo Zeca Baleiro.

“Mal eu subo no palco, um mala, um maluco já grita lá: toca Raul! A vontade que me dá, é de mandar o cara tomar naquele lugar. Mas aí eu paro e reflito, como é poderoso esse Raulzito. Puxa vida, esse cara é mesmo um mito”. A letra define bem o sentimento de quem vê o pedido atravessar gerações. Mas afinal, de onde surgiu o “Toca Raul”?

O pedido da plateia por uma música do baiano Raul Seixas parece não ter bem uma data de origem. Não há registros, apenas histórias. Há quem diga que tenha relação com o próprio Raul, já que, como ele aparecia bêbado em alguns shows e não conseguia tocar nenhuma canção, o público insistia com o pedido “toca, Raul!”.

O produtor cultural Rogério Brito, conhecido como Rogério Bigbross, conta que nos seus 50 anos, até hoje não descobriu a origem do grito e brinca: “Aí quem souber morre. Tenho 50 anos e ouço isso desde dos anos 80!”.

Para ele, o que faz o “toca Raul!” ser tão presente em shows até hoje é união das duas palavras, e também uma boa dose de bebida alcoólica.

“Junta tudo isso com um artista que nunca cairá no esquecimento. Avó, pai, filho e netos vão gostar de Raul”, afirma.

Bem, é mais seguro dizer então que o grito começou como parte de um movimento, que cresceu pouco a pouco, na cultura dos shows ao longos anos.

“Toca Raul!”, mais do que um pedido, comprova a força do roqueiro baiano, e a influência do artista. Tanto que, com o passar do tempo, o grito ficou passou a ser uma expressão, onde o público pede não só as músicas do astro baiano, mas algo inusitado para quebrar os padrões e protocolos.

Foto: Divulgação

Teorizando

Outras versões também são sussurradas no cenário da música. Algumas indicam que o grito se transformou em uma mania nacional após a morte de Raul Seixas, em 1989.

Reza a lenda que esta seria uma maldição que o roqueiro deixou como legado para os fãs. O cantor Tico Santa Cruz, do Detonautas, em entrevista ao g1 em 2009 chegou a comentar sobre essa versão.

“Raul Seixas morreu ignorado, sozinho. A gente brinca que essa foi a maldição que ele deixou”, disse.

Já em Salvador, capital baiana, tem até personagem atrelado ao famoso grito. “Lázaro Toca Raul” virou personalidade em todo tipo de show gratuito na cidade, sempre pedindo pelas músicas do roqueiro baiano.

“Quando você menos esperava, ele estava do seu lado em algum show gritando ‘toca Raul!'”, conta Rogério Bigbross.

Legado de Raul Seixas

Nascido em 28 de junho de 1945, em Salvador, Raul Seixas deixou um legado que atravessa gerações de músicos e fãs. Com letras afiadas, o cantor foi um dos pioneiros do rock nacional.

Conhecido pela vasta e criativa produção musical, Raul somava a crítica social e política com o misticismo e entusiasmo aventureiro. Até hoje, as canções de Raul Seixas são relembradas e cantadas, além da temporalidade.

O colunista do iBahia Marcelo Argôlo, destaca que a importância de Raul não é só para o rock brasileiro, mas também para a música mais tradicional do país.

“Ele tem formas da gente dizer que está fazendo um rock brasileiro. Porque antes dele tinha a Jovem Guarda, pouco depois Roberto e Erasmo Carlos com músicas autorais. Vem a Tropicália, que traz os elementos do rock para fazer música brasileira, mas é com o Raul Seixas, nos anos 70, que a gente começa a perceber uma linguagem do que é o rock brasileiro”, ressalta.

Além disso, foi com Raul que caminhos foram abertos para novos artistas e a explosão do rock brasileiro nos anos 80.

“Ele abre caminho, junto com outras bandas de rock dos anos 70 para a grande explosão que o rock brasileiro vai ter nos anos 80. Lá nos anos 80, o rock era a grande música, pop, mercadológica do Brasil junto com o sertanejo, e depois, já no final, o axé music. Raul Seixas ainda é muito importante para o rock brasileiro por ter sido um dos responsáveis por definir uma linguagem do gênero”, conclui.

Para seguir com a tradição, neste Dia Mundial do Rock, 13 de julho, é só encher o peito e gritar: “Toca Rauuuulllllll”!

Leia mais sobre em iBahia.com e siga o Portal no Google Notícias.

Veja também: