Ao lado de Sandra de Sá, Luciana Mello e Margareth, Brown abre temporada de ensaios


Carlinhos Brown e suas convidadas especiais Margareth Menezes, Sandra de Sá e Luciana Mello

Só Carlinhos Brown para colocar uma peça de teatro, um desfile de moda, a caetanave tocando frevo elétrico, o balé folclórico da Bahia e um cantor de ópera – tudo junto e misturado – para abrirem um ensaio de Verão em Salvador, não é mesmo?

Banda Lateral Elétrica na Caetanave

Quem chegava ao Museu du Ritmo, na tarde deste domingo(15), se surpreendeu com uma série de surpresas artísticas praparadas pelo anfitrião Brown, que registrava tudo para um DVD. Depois de soarem os tambores da Didá, surgia, do lado esquerdo do espaço, em cinco janelas de um casarão colonial em ruínas, o elenco da peça homoerótica Alugo Minha Língua. Logo após, do lado direito, a guitarra baiana sacudia o público em uma homenagem aos veteranos do Carnaval, com direito a presença de Orlando Tapajós.  

A plateia encantada que lotou o Museu du Ritmo também se arrepiou ao ser surpreendida com a execução de “Con Te Partirò”, de Andrea Bocelli, interpretada por um tenor no alto de uma sacada, atrás do palco. E antes do show principal começar, ainda teve desfile de moda do estilista Vinícius Cerqueira.

Elenco da peça Alugo Minha Língua em performance erótica

E foi ao som de ‘Magamalabares’ que o Cacique apareceu no palco e abriu oficialmente a temporada de 2102 do Sarau du Brown.

Seguindo o clima festivo da noite, Brown cantou ‘Maria de Verdade’, conhecida na voz de Marisa Monte, mas de sua autoria. Com o palco milimetricamente decorado e um figurino impecável, Brown recebeu neste seu primeiro ensaio as cantoras e amigas Sandra de Sá, Luciana Mello e Margareth Menezes.

A primeira a participar do Sarau foi a carioca Sandra de Sá, que relembrou suas canções ‘Olhos Coloridos’ e ‘Retratos e Canções’. Logo depois quem subiu ao palco foi Luciana Mello, relembrando um dos seus sucessos ‘Simples Desejo’. Para finalizar as participações, Margareth Menezes se juntou aos três e colocou a plateia para pular em clima de Carnaval. Juntos, os quatro cantaram ‘Não deixe o samba morrer’.

Arrastão do Brown
“Estamos aqui hoje no Sarau com 60 percussionistas da Pracatum, que conta no total com de 300 timbaleiros e 1.500 músicos. Faço parte dessa família desde os meus 9 anos, de lá prá cá já são mais de 20 anos de história”, conta o mestre de bateria Jair Resende, na concentração, do lado de fora, antes de invadir a pista do Sarau para fechar a noite com um arrastão capitaneado por Brown no chão – dando a tradicional volta no paclo.