Cantor Caetano Veloso é vítima de fraude dentro do sistema do Ecad


Do iBahia, por Camila Almeida

Caetano Veloso foi um dos compositores prejudicados pela maior fraude já descoberta dentro do  Ecad – sistema de distribuição de direitos autorais no Brasil. Milton Coitinho dos Santos, suposto fraudador que teria recebido R$ 127,8 mil pelas exibições de 24 filmes nos últimos dois anos, burlou o sistema de arrecadação, e inclui o compositor baiano  nos fraudados. “Romance”, longa metragem de Guell Arraes com trilha de Caetano Veloso, teve registro junto ao Ecad como sendo de Coitinho  a autoria das  músicas.

Mais sobre o caso:
O esquema dos pagamentos irregulares começou a vir à tona em novembro do ano passado, de acordo com uma série de documentos e trocas de e-mails aos quais O GLOBO teve acesso. Na ocasião, a União Brasileira dos Compositores (UBC), uma das nove associações que compõem o Ecad, foi questionada sobre os direitos de Sérgio Ricardo em relação à trilha de “Deus e o diabo na Terra do Sol”, filme de 1964, de Glauber Rocha.

O Ecad cortou os repasses para Coitinho em janeiro e agora estuda uma maneira de processá-lo. O problema é encontrar o falsário — se é que ele existe. De acordo com Marisa Gandelman, diretora executiva da UBC, Coitinho registrou as trilhas sonoras no escritório da associação em Minas Gerais. Hoje, porém, não haveria informações sobre seu paradeiro. Em trocas de e-mails entre representantes de associações, falou-se que ele poderia ter ido para o exterior.