Com 87% dos votos, Luan é o 7º eliminado do Big Brother Brasil


Depois de disputar com Cézar, o gerente de salão de beleza, Luan Rosa, perdeu e deixou a casa do Big Brother Brasil na noite desta terça-feira (10), com 87% dos votos. Até o momento, essa foi a maior rejeição já registrada na casa.Brigas e conflitos
Depois de brigar com boa parte da casa ele é esperado pela polícia, que quer ouvir o ex-militar sobre uma ação em que ele disse que matou uma pessoa no Complexo do Alemão. Além disso, até a mãe do brother condena o comportamento dele na casa.

“Ele é meu filho. Por isso, é difícil falar alguma coisa contra. Mas eu estou muito envergonhada”, disse Kátia dos Santos ao Extra. Ela contou que nem conseguiu ver toda a edição de quinta-feira (5) na Globo. “Fiquei nervosa, nem consegui ver até o fim. A briga me deixou triste, mas foi o chiclete que mais me envergonhou”, relata.

Com 87% dos votos, Luan é o 7º eliminado do Big Brother Brasil

Luan foi flagrando pegando um doce na festa e levando escondido para comer depois, o que é proibido pelas regras do programa. O apresentador Pedro Bial o penalizou ao vivo, afirmando que ficará na próxima semana no grupo “Tá com nada”. Mesmo confrontado, Luan negou ter comido o doce. “Acabamos de ver o vídeo”, disse Bial.”Luan vai ter sempre meu apoio. Mas ele está errado. Tinha tudo para vencer o “BBB”, mas, agora, não creio que vá ganhar o programa”, critica a mãe.Morte no Alemão e investigação
O brother disse ainda no primeiro dia de confinamento que matou um adolescente com um tiro na cabeça durante a operação de pacificação do Alemão, em 2010. A polícia chegou a anunciar que poderia ir ao Projac, na Globo, para ouvir o participante sobre o caso, mas como não há flagrante a decisão foi de esperar a saída do brother, segundo a Folha Online.

Como só há o relato de Luan sobre o suposto crime, a Divisão de Homicídios da Capital (DH) pediu à Globo a íntegra das imagens com o relato e, ao Exército, dados sobre sua participação em ações no Alemão.

Depois da eliminação de Luan, uma data será marcada para que ele vá à delegacia ser ouvido. Só depois de ouvi-lo será tomada a decisão sobre abertura de um inquérito.