Nem Te Conto

Acusado de abusar do enteado, pastor Felipe diz que foi mantido em cárcere privado

Felipe diz ainda que Bianca foi intimada para depor sobre acusações de cárcere privado e não compareceu

Redação do Correio 24 Horas
- Atualizada em

A polêmica entre os pastores Felipe Heiderich e Bianca Toledo continua. Nesta quarta-feira (31), Felipe, preso em julho acusado de abusar do enteado, usou as redes sociais para fazer acusações a Bianca. O pastor foi solto seis dias depois de ser detido no Rio de Janeiro.  O Ministério Público já ofereceu denúncia sobre o caso à Justiça, mas não pediu novamente a prisão do pastor. Ele está, porém, judicialmente proibido de se aproximar de Bianca e do filho dela. 


Nesta quarta, o pastor afirmou que foi vítima de um "plano maquiavélico" e diz que é inocente. Ele afirma ainda que chegou a ser dopado, mantido em cárcere privado e levado a uma clínica psiquiátrica, onde foi dopado novamente e amarrado, segundo ele. Bianca afirmou, em julho,  que o pastor teria confessado as denúncias de abuso e tentado se matar, sendo levado a uma clínica psiquiátrica.

O advogado de Bianca, Silva Neto, negou a versão apresentada por Felipe. "Uma criança foi molestada e traumatizada para o resto da vida e agora ele está alegando isso como se fosse a vítima e uma criança de 5 anos o algoz. Nos vamos comparecer perante a autoridade policial na semana que vem e ela (Bianca) vai prestar esclarecimento sobre esse absurdo. Ele está dizendo que os médicos que deram o laudo são criminosos, todo mundo é criminoso menos ele? É um absurdo.", disse ao Ego.

Felipe diz ainda que Bianca foi intimada para depor sobre acusações de cárcere privado e não compareceu. O advogado nega também. "Bianca não recebeu essa intimação. Ela viajou para Dallas, nos EUA, para um compromisso profissional". Segundo ele, Bianca vai procurar a polícia e se colocar à disposição caso queiram ouvi-la. Leia o depoimento de Felipe:

"A calúnia tem um poder de destruição tão grande que a própria Palavra de Deus declara veementemente que aqueles que falam mal do seu irmão não herdarão o Reino de Deus (1Co6.10) e também que Deus abomina aquele que planta contendas entre irmãos (Pv 6.19). Mesmo tendo sido vítima de um plano maquiavélico, quase impossível de ser acreditado, decidi não revidar da mesma forma. Não foi assim que meus pais me ensinaram e não foi assim que eu aprendi na Bíblia. Não irei à mídia para contar os podres da outra parte e quem me conhece sabe disso, e, por isso tem sido tão cruel. Minha defesa será mostrando minha total e plena inocência em todos os pontos acusados.  Hoje mais um capítulo se desenrola. Infelizmente apenas o primeiro deles."

Felipe segue o depoimento fazendo acusações, mas sem citar o nome de Bianca em nenhum momento: "Durante oito dias fui mantido em CÁRCERE PRIVADO. Fui dopado e levado a uma Clínica Psiquiátrica (hospício) e mantido lá, dopado e por vezes amarrado, sofrendo coisas que, só de mencionar, angustia a alma. Quando a justiça foi atrás de mim, eu me entreguei. SIM, EU MESMO ME ENTREGUEI e acreditei que minha inocência me daria a plena liberdade. Hoje temos provas de que fui refém e mantido em cárcere e coagido. A Autoridade Policial entendeu que a denúncia era grave e tinha provas suficientes para justificar a abertura de procedimento investigatória, intimando todos os envolvidos a prestarem suas declarações, ao contrário de mim a outra parte simplesmente resolveu não aparecer à delegacia, ignorando a intimação e mostrando total desrespeito às leis do nosso país, e no dia seguinte viajou para os EUA como se nada devesse esclarecer. Coloco aqui a intimação e a passagem de ida. Cabe a Justiça julgar".

Correio24horas