Nem Te Conto

Agressores de Henri Castelli responderão por lesão corporal, informa delegado

Ator contou que foi agredido em Barra de São Miguel (AL)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Os agressores de Henri Castelli já foram identificados pela polícia e serão indiciados pelo crime de lesão corporal grave. A informação foi confirmada à Revista QUEM pelo delegado responsável pela delegacia de Barra de São Miguel (AL), onde o crime aconteceu. Na noite da segunda-feira (11), o ator contou aos seguidores do Instagram que fraturou a mandíbula após ser agredido.

O delegado informou que o caso teria acontecido na madrugada de 29 para 30 de dezembro de 2020. Ao site, ele informou que, no total, quatro agressores foram identificados e ouvidos. Apenas um deles confessou a agressão e alegou ter revidado.



"Há duas versões para o ocorrido: a da vítima (o ator) e a que os autores apresentaram. Os autores disseram que houve uma discussão antes (da agressão). Comprovadamente só uma  pessoa assumiu. Estamos individualizando o caso. O outro autor foi quem primeiro discutiu com a vítima (o ator) e, durante a discussão, soube por um amigo que teria havido agressão verbal a ele por parte da vítima e, por isso, ele teria revidado. A vítima teria tentado agredi-lo fisicamente e o outro autor antecipou a agressão, eles acabaram entrando em briga e tudo aconteceu. O autor que assumiu a agressão (a Henri Castelli) afirmou que teria levado um murro da vítima e por isso revidou. Já a versão da vítima da vítima (o ator) é a que ela não sabe qual foi o motivo da agressão. Ela estava com a cabeça baixa, mexendo no telefone e não sabe quem a agrediu nem o porquê", explicou o delegado.



Ainda segundo o profissional de justiça, imagens das câmeras de monitoramento de Stella Marina, local onde tudo aconteceu, foram solicitadas. "Já ouvimos mais de 10 pessoas, entre envolvidos e testemunhas e o inquérito está praticamente concluído. Acredito que semana que vem, na conclusão do inquérito, já encaminharemos para o Ministério Público que, entendedno que houve crime, oferecerá denúncia e iniciará o processo na Justiça", acrescentou Fabrício.

Marcelo Marcochi, advogado de Henri Castelli disse que também solicitou as imagens do local e explicou que já conta com testemunhas.  "Só quem pode dizer o motivo, se é que algum motivo nessa vida justifica ou explica uma agressão nesse nível, são os agressores. Como o Henri falou, ele não viu os agressores, que o pegaram pelas costas. Se ele estivesse sozinho, não saberia sequer dizer quem é. O Henri não falou com eles, não houve qualquer interação, discussão, nada. Nem quem estava com o Henri sabe dizer os motivos, porque foi gratuito. Ele foi agredido de maneira premeditada. E falo porque novas testemunhas dão conta de que eles (os agressores) esperaram o Henri ficar sozinho para partir para cima dele", explicou à QUEM.