Nem Te Conto

Anitta sai em defesa de Xanddy: 'deu abraço em meu guia do candomblé'

Carla Perez também mostrou apoio ao marido: 'machuca ver inverdades sobre um homem respeitador'

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Acusado de intolerância religiosa pela atriz Luana Xavier, o cantor Xanddy foi defendido por Anitta nas redes sociais. Ao ver o comentário do pagodeiro, a funkeira tratou de mostrar apoio a ele e citou uma situação íntima que aconteceu.

"Amigo, querido, internet hoje em dia tá fácil não. Todo mundo sabe que sou do batuque e tá lá Xanddão cantando na minha casa todo ano. Deu esse abraço gostoso aí em meu guia do candomblé e a festa seguiu com gente de todo tipo. Tinha amigo da igreja, do axé, família da mamãe católica. E enquanto escrevo isso pra você coincidentemente escuto a música 'Me ajude a melhorar', do Eli Soares, que é uma das minhas músicas favoritas principalmente quando quero rezar. Povo tem é que parar de criar problema com tudo e cuidar da natureza que seguem destruindo enquanto pregam na internet. Quando acabar a natureza não vai ter oxigênio nem pra cristão nem pra católico nem umbanda nem candomblé nem mais nada", postou ela.

Foto: Reprodução/Instagram

A mulher de Xanddy, Carla Perez, também defendeu o músico nos comentários do Instagram: "sou suspeita a falar, mas não posso me calar! Acredito que sou a pessoa que mais te conhece na terra depois da sua mãe. Jamais escolheria para minha vida, para ser pai dos meus filhos, um homem desrespeitoso, preconceituoso ou algo do tipo. Machuca, dói demais ver inverdades proferidas irresponsavelmente sobre um homem íntegro e respeitador. Que somos falhos? Sim, somos, e vc não seria o único ser do mundo a estar livre disso, mas sei o quanto tenta acertar. Eu te amo e me orgulho de você".

Entenda

No Instagram, Luana destaca que Xanddy, por ser evangélico, cortou partes da música 'Raiz de Todo Bem'. "Sou muito fã do Harmonia do Samba, há muitos e muitos anos. Já fui em inúmeros shows deles: aqui no Rio, em Salvador e até em Vitória. Mas hoje me decepcionei bastante com o Xanddy. Que ele é evangélico e fala bastante sobre sua religião, inclusive em shows, disso todo mundo sabe. E definitivamente não é um problema. Porque falar da nossa própria religião é um direito que nos compete", iniciou o relato.

No decorrer do texto, ela comenta o motivo de ter se sentido ofendida: "Porém, hoje no repertório do show tinha a música Raiz de Todo Bem, comumente cantada pelo intérprete Saulo. Peço que reparem no vídeo. Comecei a filmar depois de um minuto de música rolando porque eu não conseguia acreditar no que estava acontecendo. Pois bem... Xanddy suprimiu a frase 'do canto Candomblé' durante toda a música. Um desrespeito sem tamanho", contou Luana. No vídeo, de fato, é possível perceber vários trechos da música que Xanddy não canta, incluindo menções ao Senhor do Bonfim, uma representação tipicamente católica, além da frase citada por ela.

"Se por questões religiosas, morais ou seja lá o que for, ele não pode pronunciar a palavra 'Candomblé', então deveria tirar essa música do repertório. Simples assim. Mas Luana, você foi se divertir em um show e já voltou problematizando? Sim! E sabe por que? Porque durante anos o Candomblé foi uma religião proibida de ser exercida".

Luana finalizou o textão fazendo um pedido: "E ao cantor, fica aqui o meu apelo... apelo de alguém que sempre admirou o trabalho dele: Respeite o nosso sagrado! Respeite a nossa fé! Principalmente você que canta 'respeite quem pôde chegar aonde a gente chegou'".

Após a repercussão do vídeo, Xanddy se pronunciou. "Fui acusado de ser intolerante religioso e exposto na internet, onde pessoas que não me conhecem intimamente, estão, infelizmente, reduzindo o meu caráter de forma irresponsável e tóxica. Eu respeito e amo o ser humano seja ele católico, espírita, umbandista, candomblecista, judeus, budistas, evangélico... Acima de tudo procuro respeitar a história, particularidade e trajetória de todos, aprendendo a cada dia", disse.

Ele ainda completou afirmando não ter problema com religiões de matriz africana: "muitas vezes, encontro nas incontáveis viagens que faço pessoas das religiões de matrizes africanas (principalmente na minha terra, na Bahia) e quase sempre, recebo um abraço gostoso, que vem acompanhado de palavras doces e, obviamente, tento corresponder à altura. Eu sou assim, gosto de ser assim. Quem me conhece sabe. De qualquer forma, peço perdão se ofendi alguém. Do fundo do meu coração, acreditem, não houve intenção de machucá-los. Que Deus abençoe a todos!!!".