Nem Te Conto

Anitta tem valor do cachê reduzido após processo judicial contra ex-escritório

Preço caiu de R$ 150 mil para R$ 85 mil de acordo com a coluna 'Retratos da Vida', do jornal 'Extra'

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
Ao que parece, os problemas de Anitta com o ex-escritório, a KL2, trouxeram bastante dor de cabeça à cantora. De acordo com a coluna 'Retratos da Vida', do jornal 'Extra', o valor do cachê dos shows da artista caiu de R$ 150 mil para R$ 85 mil. Ainda segundo a publicação, a funkeira não recebe parte do dinheiro da agenda de shows vendida por a ex-empresária, Kamilla Fialho.
Na última terça-feira (14), a assessoria de imprensa da cantora explicou ao site 'Purepeople' que a funkeira ainda não recebeu nenhuma notificação para cumprimento de medida cautelar determinada pela Justiça. "Ainda não houve uma determinação sobre o que deverá será enviado a juízo no caso de Anitta. A medida cautelar existe, mas ainda não há valor ou objeto. Não sabemos de onde saiu este valor de R$ 5,4 milhões informados", afirmou. Segundo o advogado Marcelo Saraiva, que defende a K2L, a cantora teria que depositar o valor em juízo, o que ficaria guardado até a conclusão do processo.

Entenda o caso

No mês de agosto Anitta rompeu o contrato com a empresa K2L, a qual Kamilla é sócia, por causa de um desvio de R$ 2,5 milhões em dois anos. Na época, a empresária apresentou provas que comprovavam sua inocência. "Mostrei tudo o que foi pedido e agora espero a juíza se manifestar. Comprovei tudo e todas as acusações não procedem. Não devo nada", afirmou Kamila ao site 'Purepeople'. Após a confusão, Anitta abriu a empresa Rodamoinho Produções Artísticas, que passa a ser a administradora oficial de sua carreira. Já Kamilla acabou de fechar contrato com Valesca Popozuda.