Nem Te Conto

Após anunciar fim do programa, Fernanda Lima volta ao 'Amor & Sexo'

"E eu poderia enveredar por um novo projeto, mas também ficava com a sensação de que ainda tinha tanta coisa a ser falada", diz Fernanda Lima

Agência O Globo

Depois de anunciar o fim do “Amor & sexo” e de exibir um programa especial de despedida, no ano passado, Fernanda Lima e sua equipe voltam para uma nova temporada no próximo dia 26 na Globo.

"As pessoas pediram muito o retorno", conta a apresentadora. "E eu poderia enveredar por um novo projeto, mas também ficava com a sensação de que ainda tinha tanta coisa a ser falada... Criei, gosto e me orgulho do “Amor & sexo”. Tinha pena de deixar isso passar".

Com 50 minutos de duração, o programa continua temático. Fernanda discute o “empoderamento feminino” na edição de estreia. Elza Soares, que gravou uma música sobre violência doméstica no álbum “A mulher do fim do mundo”, será homenageada na atração, que terá ainda como convidadas as cantoras Karol Conka e Gaby Amarantos.

A apresentadora quer debater assuntos relacionados a gênero e igualdade ao longo desta nova temporada (a décima).

"O homem está tendo que reaprender a se colocar, mesmo os caras mais bacanas não sabem como agir diante da mulher. A gente não pode só botar o dedo no nariz deles. Todo mundo tem que ser chamado para participar da conversa", diz ela.

'TODO MUNDO FICA NU EM CASA'

Diretora do “Amor & sexo”, Daniela Gleiser lembra que o Brasil é o país que mais mata homossexuais, e que as mulheres chegam a ganhar 30% a menos do que os homens, mesmo estando numa mesma posição profissional.

"Vamos falar de forma séria, mas não temos a pretensão de levantar bandeiras. Há uma fronteira que queremos derrubar. Quando botamos um monte de gente pelada no palco numa das temporadas passadas, queríamos mostrar que isso não pode ser um tabu", explica.

"Não tem como não falar sobre isso. A gente não queria se repetir, mas os temas estão sempre se renovando. As formas como a sociedade encara as coisas mudam. Esta temporada está vindo ainda mais madura. Vamos nos aprofundar mais nos temas. O programa está mais político, mas mantém a leveza e o humor", completa a diretora.

Fernanda Lima promete intercalar as discussões com atrações mais picantes. "Vamos falar de forma séria, mas não temos a pretensão de ser um programa político, de levantar bandeiras. Também terá muito erotismo. Há uma fronteira que queremos derrubar. Quando botamos um monte de gente pelada no palco numa das temporadas passadas, queríamos mostrar que isso não pode ser um tabu. Tirando a luz da televisão e o palco, todo mundo também fica nu em casa. Qual é o problema?", questiona.

Os números musicais apresentados por Fernanda, que canta e dança ao lado de um corpo de baile, na abertura de cada edição, terão mais espaço e serão mais elaborados. Os cantores Pabllo Vittar e Régis Paulino seguem cantando no programa entre as dinâmicas e as brincadeiras propostas no palco.

"A música e o figurino ajudam a envelopar o tema. Já tivemos 27 minutos de duração, 35 minutos, e agora teremos 50 minutos no ar. Tenho que ralar, como sempre, para cantar e dançar em cena. Mas nunca optei pelas coisas mais fáceis ao longo da minha história", diz a apresentadora.

O time de jurados do programa perde o jornalista e escritor Xico Sá e ganha o humorista Eduardo Sterblitch, conhecido pelos personagens César Polvilho e Freddie Mercury Prateado, do “Pânico”.

O ator estará na bancada ao lado da atriz Mariana Santos, do apresentador Otaviano Costa, do ator José Loretto, da sexóloga Regina Navarro Lins e do estilista Dudu Bertholini, que também assina o figurino do programa. Sterblitch conta que atua ainda como colaborador criativo da atração. Ao falar da mudança, ele brinca que saiu do programa mais machista para o mais feminista da televisão.

"Gravei uma brincadeira em que mostramos um machista em desconstrução. Havia várias feministas no palco e foi uma aula para mim. Mas, na verdade, sou um cara completamente liberal na minha vida. Não consigo entender nenhuma forma de preconceito. Seu eu tivesse um filho gay seria o maior barato. As pessoas dão tilt justamente por não entenderem onde podem ser livres", diz Sterblitch.

O ator já gravou dois episódios e diz ter se sentido à vontade na nova função: "Eu sou tímido, mas não faço personagem ali. Dou uma certa exagerada no vídeo, tem uma mascarazinha para render. Sei pouco sobre amor e sexo. Estou casado há um ano e meio e só agora estou descobrindo o amor. Eu não tive muitas parceiras, não fui comedor", reconhece.

'EVITO A GROSSERIA'

Em tempos em que discursos conservadores ganham força na sociedade, Fernanda diz ter muito cuidado com o que fala no programa. "A situação atual está muito assustadora, sem graça. Mas não podemos fazer graça de qualquer coisa. Busco sempre a forma mais leve e elegante de tratar os assuntos. Evito a grosseria, mas não a putaria".