Nem Te Conto

Após clipe com Anitta, rotina de modelos muda e assédio cresce

Entre os modelos está o baiano Pietro Baltazar, conhecido como 'Justin Bieber' do Vidigal

Agência O Globo
- Atualizada em

Não foi apenas o corpão de Anitta que chamou a atenção do público. Três dias após a gravação de “Vai malandra”, Rodrigo Motta, à esquerda, e Pietro Baltazar, à direita, viram a rotina mudar em menos de 24 horas.

Rodrigo Motta e Pietro Baltazar


Aos 19 anos, o baiano Pietro, que começou há pouco a carreira de modelo e já tem no currículo desfiles para a Maison Balmain, em Paris, tem confirmados dois desfiles na SPFW e logo depois vai para Nova York visitar clientes. “Vou ficar um mês a princípio”, conta ele, que jogou futebol nas categorias de base: “Futebol é uma paixão. Sempre quis ser atleta, mas agora quero ver as oportunidades nessa área”. Em menos de 24 horas, o bonitão ganhou mais de 100 mil seguidores no Instagram após Anitta tê-lo chamado de Justin Bieber do Vidigal. “Eu não estava com o celular na hora e quando vi fiquei surpreso”, diz.
Pietro tem 19 anos e é baiano

O bartender e modelo Rodrigo, de 26 anos, ainda não viu o número de seguidores multiplicar porque não foi marcado no perfil pela cantora, mas diz que conquistou o telefone das participantes do clipe após passar óleo no bumbum da Poderosa: “Foi uma loucura. Já até falei com algumas”.

Rodrigo tem 26 anos e falou sobre passar óleo nas curvas de Anitta

Não foi uma só vez que ele passou o tal do óleo a pedido de Terry Richardson, o diretor do clipe. “Foram três vezes e ele gritava, ‘faz com vontade’”, revela o também morador do Vidigal: “Não fiquei tenso com a cena. Anitta é muito tranquila e humilde”. Rodrigo espera mudar de vida com a exposição de seu corpo no video. Corpo esculpido à base de corridas na praia e altinha. “Também me alimento bem e apesar de trabalhar no bar não sou de beber”, explica.

Modelos tiveram boas repercussões com as participações no clipe

Mais contido, Pietro já fala com discurso pronto. Ao ser questionado se preferia uma laje com brasileiras curvilíneas de biquíni ou uma passarela com modelos magérrimas, o moço foi político: “Não tenho um gosto singular, não tenho preferência quanto a isso. Todos as mulheres são lindas. A simpatia conta bastante pra que outra pessoa se sinta interessada”. Já Rodrigo não titubeia ao falar da preferência nacional. “Nunca vi tanta bunda bonita junta”, espanta-se.