Nem Te Conto

Após morte de filha, Juliana Diniz segue conselho de Zeca Pagodinho e volta a cantar

Bebê acabou morrendo no fim do mês passado, aos 8 meses de gestação

Agência O Globo
- Atualizada em


Afilhada de Zeca Pagodinho e neta de Monarco da Portela, a cantora Juliana Diniz, de 32 anos, pretendia passar este domingo de Dia das Mães entrando na reta final da gravidez e com a filha Yolanda na barriga. Mas por uma fatalidade, a bebê acabou morrendo no fim do mês passado, aos 8 meses de gestação. Em meio a dor que estava sentindo, a cantora, que ficou conhecida após participar da novela "Senhora do Destino" em 2004, buscou forças para se reerguer e retomar aos palcos, 20 dias após o ocorrido.

Foto: Reprodução | Instagram
"A gente não espera acontecer fatalidade na nossa vida, ainda mais perder um filho, que foge da ordem natural da vida. Mas estou seguindo bem pelo fato de saber que Deus está comigo, que o meu trabalho, minha família e meus fãs têm me apoiado. Na primeira semana, achei que eu não fosse ter foças para viver e que a minha vida tivesse acabado por ali", diz ela.

Dois dias após o enterro da filha, Juliana cancelou toda sua agenda de shows e ficou reclusa em casa. Foi quando ela recebeu o conforto do avô Monarca, do padrinho Zeca Pagodinho e do primo (o sambista) Arlindinho, e decidiu seguir os conselhos dos mais velhos de que "o show não pode parar".


"Elas me falaram que o show tinha que continuar. Meu primo Arlindinho disse que teve um show no dia que levou o pai (Arlindo Cruz) para a UTI, que eu não podia deixar de sorrir,mesmo triste, e que o público não tinha nada a ver com isso. Eles falavam que eu precisava seguir e que música ia me fortalecer. Na mesma hora eu liguei para os contratantes e decidi seguir com os shows", conta ela, que voltou aos palcos no show na última sexta-feira, no Rio (assista um trecho da apresentação abaixo).

"Foi a melhor coisa da minha vida voltar a cantar logo. A música tem o poder de curar. Tenho os meus momentos de tristeza, de choro, de dor e saudade, todos os dias. Tenho um momento que eu quero me recolher para orar, falar com Deus e com a minha filha. Mas acho incrivelmente maravilhoso o poder que a música tem de tirar essa dor de mim", avalia.

Visualizar esta foto no Instagram.

.... ???? nem eu sei como consegui cantar... mas Cantei! #nostalgia

Uma publicação compartilhada por Juliana Diniz (@ajudiniz) em