Nem Te Conto

Ator de 'Segundo Sol' diz que vendeu TV e computador para pagar contas

Intérprete de Narciso comemora sucesso do personagem na trama das 21h

Marcelle Carvalho, da Agência O Globo
- Atualizada em

Osmar Silveira confessa que nem em seus melhores sonhos poderia imaginar tudo o que Narciso, de “Segundo sol”, se tornou em sua vida. Afinal, um personagem que orbitava na história dos outros ganhou sua própria trama, trazendo, de quebra, sua família.

— Estava cheio de expectativa de que o personagem acontecesse. E aconteceu. Há dois meses, fui avisado de que Narciso teria família, que a trama ia aumentar. Até chegar esse momento, foram noites sem dormir (risos) — diz o ator.

Foto: TV Globo/Divulgação

Mas a família de traficantes está prestes a ruir. No capítulo de hoje, após Narciso entregar para Manu (Luisa Arraes) o dinheiro de seu sequestro, Juarez (Tuca Andrada) ameaça o filho de morte. Fátima (Ingra Lyberato) surpreende e aponta uma arma para o marido, mandando que o filho suma da vida deles.

— Narciso cria um embate com a família para defender Manu. É o cara que se transformou pelo amor. Apesar de ser um personagem meio torto, ele não é visto com maus olhos, tem carisma — acredita o ator de 30 anos, que é contra a descriminalização das drogas: — Não acho legal, por mim não existiria. Mas também não discrimino quem use. Só que, para minha filosofia de vida, não acho certo liberar.

Natural de Campo Verde, cidade do interior de Mato Grosso, Osmar está há seis anos no Rio. Ele já tem duas novelas e peças no currículo. Uma delas é “Cazuza”, em que foi substituto de Emilio Dantas. Bons ventos para quem chegou a colher tempestades.

— Passei alguns perrengues, tive que vender computador e TV para pagar meu aluguel. Sempre tentei viver da arte. Às vezes, sobrevivi dela. Hoje olho para trás, vejo meus passos e me orgulho da minha trajetória — diz o rapaz, que se emociona com as mensagens que vem recebendo: — Eu assistia novela e me via no lugar daqueles atores. Hoje, recebo mensagem de pessoas dizendo que se espelham em mim, principalmente da minha cidade. O que me toca muito.