Nem Te Conto

Bafão! Repórter relata assédio de MC Biel: "me chamou de gostosinha"

Repórter afirmou que prestou queixa na delegacia da mulher contra o cantor

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Uma repórter do 'Ig' passou por uma situação nada agradável durante entrevista ao MC Biel. Segundo a profissional, que tem 21 anos e teve a identidade preservada, o funkeiro deu em cima dela durante uma entrevista.

"Quando ele disse, logo de cara, 'se eu te pego, te quebro no meio', já fiquei com o pé atrás. Estranhei o fato de não ter um filtro no que ele dizia, não ter uma certa barreira ou limite na relação entre repórter e entrevistado. A partir do momento que ele falou isso, minha primeira reação foi um choque. Ele trata assim mesmo quem está ali trabalhando com ele, e enquanto ele está trabalhando também?", disse ela.

A moça ainda relatou que Biel chegou a pedir beijo dela: "depois, vem o momento em que ele quer me oferecer um beijo, ou testar a sua sexualidade, e cruza novamente a barreira profissional. Não estava ali conversando, pedindo um beijo ou flertando. Estava ali porque é meu trabalho. Tanto que começo a entrevista dizendo: 'vamos falar sobre seu CD porque é o que importa. Por mais que ele tenha uma postura nas músicas e redes sociais com uma pegada sexualizada, de 'pegador', nunca imaginei que isso fosse acontecer durante entrevista com foco de divulgar o CD".

Ela também contou que, assim que terminou o trabalho, não conseguiu segurar as lágrimas. "Estou acostumada a entrevistar famosos e a primeira coisa que pensei foi que aquilo não estava acontecendo. A entrevista terminou, peguei minhas coisas e fui embora. Entrei no táxi e tremia. Aí, comecei a chorar. Lembrei das pessoas da sala que estavam rindo, de tudo que ouvi uma vez, duas vezes, quatro vezes. Quando saí, percebi tudo que aconteceu, e tantas coisas que ouvi em dez minutos e é aí que você percebe o absurdo da situação", explicou.

Ainda ao 'Ig', a repórter afirmou que prestou queixa contra o cantor: "fui muito bem atendida na 1ª Delegacia da Mulher. O tempo todo me deram todas as direções, me falaram sobre o processo e me explicaram que estava errado ele me chamar de gostosinha, me oferecer beijo. Me explicaram que realmente a postura e até o jeito de olhar eram indícios de assédio sexual".