Nem Te Conto

Carol Narizinho faz desabafo sobre assédio: ‘Me sinto um pedaço de carne’

A modelo ainda destacou alguns casos de assédio que sofreu na época em que trabalhava na TV

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com)

Carol Narizinho faz questão de, sempre que possível, compartilhar a boa forma nas redes sociais. Com muitas experiências profissionais como modelo e até mesmo assistente de palco de programa televisivo, a musa desabafou sobre como lida com o assédio nas redes sociais.

"Às vezes, eu posto algo de biquíni ou uma publicidade que aparece um pouco mais do meu corpo e vem aquele monte de homem elogiando, falando besteira ou oferecendo dinheiro para sair comigo, para me comprar. Isso até hoje me incomoda. Eu me sinto como um pedaço de carne a ser comprado, a ser desejado. Me incomoda bastante essa visão masculina. Acho que a mulher tem de ser livre, mas ainda tem muito machismo nesse meio. A gente não pode andar de biquíni ou postar uma foto usando ele que está se vendendo, mas não é isso que estou fazendo”, enfatizou em entrevista ao IG.



Durante o bate-papo, Narizinho contou ainda que já recebeu muitas mensagens de ex-colegas do extinto Pânico na Band, desabafando sobre as situações de assédio sexual que já vivenciaram.

“Eu já ouvi muitas histórias assim. O que eu passei foi muito leve, foi algo que natural de quem acaba se expondo trabalhando de biquíni ou posando nua. É um preconceito e julgamento, principalmente da parte masculina, de achar que pode comprar a mulher só porque a mulher trabalha, só porque a mulher tem um corpo legal”, destacou.

Além disso, a musa deixou claro que prefere não julgar quem acaba aceitando algum tipo de proposta visando no dinheiro: "Sempre tentei passar isso também para as minhas seguidoras, para as pessoas que me seguem. Desses valores, da criação da minha família. Eu sou uma pessoa muito família, apesar de ser órfã, ter perdido meu pai muito cedo - quando eu tinha nove anos -, ele me educou assim. Formou muito do meu caráter".