Nem Te Conto

'Dor não passa', diz mãe de Cristiano Araújo em missa de 2 anos da morte do cantor

Na missa de dois anos da morte do cantor sertanejo, realizada na quinta-feira (22), mãe se emociona ao falar do filho e diz que ainda sente muita falta dele

Redação Correio 24 h
A Paróquia Nossa Senhora Assunção, em Goiânia, foi só emoção e saudade na quinta-feira (22). O local foi palco da missa em memória dos dois anos da morte do cantor sertanejo Cristiano Araújo e de sua namorada Allana Moraes, mortos em um acidente de carro no dia 24 de junho de 2015, em Morrinhos, no sul de Goiás. 
Ao chegar para a cerimônia, a mãe do cantor, Zenaide Araújo, se emocionou e disse ainda sentir muita falta do filho. "Para mim, é muito importante lembrar dele. Ainda sinto e ouço a voz dele. A dor e a saudade não passam, são as mesmas do dia que ele morreu", disse chorando, em entrevista ao site "G1".

Após a perda do filho, Zenaide contou que precisou fazer um tratamento psicológico, mas que os fãs de Cristiano desempenharam papel importante no apoio para a sua recuperação. "Os fã-clubes me ajudam muito, me ligam, mandam mensagens. Eles são muito importantes para manter a memória dele viva. Enquanto eu viver, também não vou esquecer dele", disse. 
'Dor não passa', diz mãe de Cristiano Araújo em missa de dois anos da morte do cantor
Missa
A missa, que começou por volta de 19h40 e terminou às 21h10, contou com a presença de familiares, amigos, conhecidos e fãs do artista. Entre os familiares, estavam o pai de Cristiano, João Reis, o irmão Felipe Araújo, a irmã gêmea do cantor, Ana Cristina Melo Araújo. Além dos pais de Allana Moraes, Miriam Coelho Pinto Moraes e Frank Moraes, e o ex-produtor do artista, Rafael Vanucci.
Na paróquia, dois telões mostravam imagens de Cristiano e de Allana. Para prestar homenagem ao ídolo, muitos fãs chegaram antes da cerimônia, vestidos com camisetas que ilustravam a foto de Cristiano, como a vendedora Daiane Garcia, 26 anos, de Minas Gerais, que viajou 23 horas de ônibus para acompanhar a missa. 
"Cheguei 40 minutos antes de começar a missa. Foi uma correria muito grande. Não ia dar para eu vir, mas eu fiz muita força e consegui, assim como na missa de um ano. Sou muito fã do Cristiano. Quem me conhece sabe que eu o acompanhei desde o início da carreira dele. Faço questão de sempre estar presente", contou Daiane ao site "G1".
Cristiano e a namorada morreram em um acidente de carro no dia 24 de junho de 2015, em Morrinhos, no sul de Goiás (Foto: Arquivo Pessoal)
A celebração, realizada pelo padre Marcos Rogério, também amigo do cantor sertanejo, lembrou da vida de Cristiano e confortou os familiares do casal. “Não estamos aqui para celebrar tristeza, mas sim a alegria de dois jovens que entregaram seu coração a Deus”, declarou, dando início à missa.
“Dois anos se passaram e parece que foi ontem. Uma presença tão forte, toda vez que a gente ouve uma música. O amor eterniza e dá capacidade para entender o que nós não compreendemos”, disse o padre.

"Tenho certeza que lá no céu, o Cristiano e a Allana fazem uma festa enorme. Estão festejando a vida deles agora e nos ajudando a viver a nossa. A dor fica, às vezes cutuca, mas quando você se entrega, a ressurreição acontece", completou, durante a missa.
Cristiano Araújo e Allana Moraes voltavam de um show em Itumbiara quando o veículo em que eles estavam saiu da pista e capotou na BR-153 (Foto: Reprodução/PRF)
Acidente
Cristiano Araújo e a namorada, Allana Moraes, voltavam de um show na cidade de Itumbiara, no sul do estado de Goiás, no dia 24 de junho de 2015, quando o veículo em que eles estavam, um Range Rover, saiu da pista e capotou.
A namorada do sertanejo morreu no local. O cantor chegou a ser socorrido para o Hospital Municipal de Morrinhos, e depois transferido de helicóptero até o Hospital de Urgências de Goiânia. Mas ele não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho da unidade médica.
O acidente aconteceu por volta das 3h30, na BR-153, em Morrinhos. Além de Cristiano e Allana, que estavam no banco traseiro do veículo, o motorista e um empresário do cantor também estavam no carro e sofreram apenas ferimentos leves.