Nem Te Conto

Em áudio e fotos, Tom Veiga narra agressão que diz ter sofrido da terceira mulher

Alessandre, última ex-mulher de Tom, decidiu tornar públicos os áudios dele narrando o que diz ter passado na noite do dia 7 de setembro

Carol Marques, Agência O Globo

Há seis meses, Alessandra Veiga carrega em seu celular fotos do ex-marido Tom Veiga com vários hematomas, arranhões e machucados. As imagens foram enviadas a ela pelo próprio ator, que, no dia 4 de outubro de 2020, decidiu se abrir com a segunda mulher, com quem viveu por 14 anos, e contar que a ex, Cybelle Hermínio da Costa, no caso a terceira esposa, o agrediu em setembro, culminando com a separação dos dois.

Com as notícias que envolvem a partilha de bens entre os filhos e a última mulher do intérprete do Louro José, que, inclusive, está em seu testamento, e especulações sobre uma briga entre o ex-casal, Alessandre decidiu quebrar uma promessa que fez a Tom, e tornar públicos os áudios dele narrando o que diz ter passado na noite do dia 7 de setembro e as fotos que ele tirou mostrando o resultado da surra que disse ter levado.

“No dia 4 de outubro, depois de a gente se falar por vários motivos e assuntos, o Tom me abordou meio diferente e falou que nunca tinha me falado o motivo da separação dele dessa moça. Aí, ele me mandou as fotos da agressão e a partir dali os áudios. Disse que tinha muita vergonha, que estava se sentindo um lixo, se sentindo mal, à base de calmantes, com muita vergonha. Ele me contou, está nos áudios, que foi agredido depois de uma briga boba”, revela Alessandra.

Fugindo descalço e sem dinheiro

Nos prints que Alessandra compartilhou com o Extra, com exclusividade, Tom confessou que teve que sair correndo de casa, descalço, sem dinheiro ou celular. “Saí da minha casa fugido, sem carteira, sem celular, descalço, sem um real no bolso. Pelo amor de Deus não conta isso para ninguém”, pediu o ator.

“Dois meses depois da nossa separação ele começou esse relacionamento. A gente até vinha tentando uma reconciliação, mas eu disse que ele tinha feito uma escolha e que era para assumir o que fez. Para ele, deve ter sido muito difícil confirmar que tinha feito a escolha errada... O que eu tenho para dizer hoje é que, pra mim, não importa qual a decisão da Justiça. A minha verdade é o que ele me falou, e eu acredito nele. Não gosto de falar sobre o que não posso provar. E tem áudio dele falando para provar. Decidi falar isso agora porque aconteceu isso tudo e eu pensei, ele pediu na época ‘não conta para ninguém’. Mas hoje vejo a necessidade de as pessoas saberem, sim. Então, agora eu sou a voz dele”, justifica Alessandra.

Procurada para dar sua versão da história, Cybelle Hermínio retornou às mensagens do Extra.