Nem Te Conto

Em quarentena, Cauã lembra gravações com a ex Alinne Moraes

Ator fala sobre a novela 'Em seu lugar', a qual contracena com atriz

Gilberto Júnior, da Agência O Globo

Antes do distanciamento social para conter o avanço do novo coronavírus, as madrugadas de Cauã Reymond estavam intensas. Era depois da meia-noite que as gravações da novela "Em seu lugar", prevista para ir ao ar assim que "Amor de mãe" terminar, pegavam fogo. "Por incrível que pareça, os dois primeiros dias de quarenta foram de descanso, parecia um momento de respiro. Mas logo entendi que não era só uma pausa. É um novo processo, um período de aprendizado", diz o ator, de 39 anos. "Estou meditando, me exercitando, lendo, estudando inglês on-line, assistindo algum filme que eu já tenha visto e gostei muito ou aquele que há tempos queria ver e não conseguia, além de séries e documentários."

Em casa, Reymond divide todas as tarefas com a mulher, a apresentadora Mariana Goldfarb, com quem se casou em abril de 2019. "Mas a Sofia (sua filha com a atriz Grazi Massafera) também aparece e irá retornar novamente para passar uns dias com a gente", conta ele, que esteve em Praga antes do carnaval para gravar cenas da novela, em que interpretará dois irmãos gêmeos. "As pessoas me perguntam: 'Como foi na República Tcheca? É bonito?'. É lindo, mas estava muito frio e foi corrido. No primeiro dia, acordamos às 4h30, o que se repetiu nos dias seguintes. Quando voltamos ao Brasil, o ritmo continuou forte. E estou vivendo gêmeos, então era duplamente árduo."

Na trama, o ator fará par romântico com Alinne Moraes, com quem já teve uma relação amorosa. "Para mim, trabalhar com ela é natural. Nós tínhamos facilidade em encontrar certas situações pelo fato de nos conhecer. A comunicação era muito mais fácil, tanto em relação a um irmão quanto ao outro. Sou admirador da carreira que a Alinne construiu, uma carreira muito bonita. Estava sendo ótimo. Espero que a gente possa voltar às gravações logo porque é estranho interromper um processo tão intenso e ficar um pouco parado, sem saber como as coisas vão se desenrolar. Sei que isso está acontecendo com todo mundo, mas estou torcendo para que tudo volte ao normal e que o coronavírus não atinja o país com tanta força."

'Minha relação com a moda é de amor'

Paralelamente ao trabalho na televisão e no cinema, Reymond segue emplacando boas campanhas no mundo da moda. É outra vez o rosto da Colcci, agora com a companhia da supermodelo Isabeli Fontana. "A minha relação com a moda é de amor", resume. "É uma forma de se expressar que se renovando constantemente e isso diz muito sobre a sociedade e todos os movimentos que estão acontecendo. Não quero nunca ser abandonado pela moda e também nunca abandona-la."

Sempre elegante e minimalista, o astro afirma que não é "um cara muito consumista". Gosta de comprar peças "muito boas" e ganha mais um outro punhado. Entre os seus estilistas favoritos, ele cita Giorgio Armani, com quem tem uma longa parceria, Riccardo Tisci, o diretor artístico da inglesa Burberry, e Francisco Costa, o mineiro que pilotou por anos a americana Calvin Klein. "Sou um grande entusiasta do trabalho dos brasileiros, principalmente os que se aventuram e vão trabalhar no mercado internacional, imagino como é difícil. Fico torcendo para quem está fazendo sucesso fazer mais. E para quem vai se jogar nesse universo louco que seja bem-sucedido. Estou sempre vibrando pelo Brasil, isso é o mais importante."

Apaixonado pela indústria fashion, Reymond pensa em ter uma linha ou marca. "Mas é uma plano para colocar em prática depois que a situação mundial se normalizar. Não faz sentido lançar algo enquanto estivermos vivendo numa crise global. O mais importante agora é se cuidar, se ajudar e evitar sair de casa."