Nem Te Conto

Emocionada, Lorena Improta faz desabafo sobre críticas: 'fui hospitalizada'

Dançarina revelou ter sofrido uma crise de ansiedade ao ler comentários nas redes sociais

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br)

Nem tudo são flores na vida dos artistas, como todo mundo imagina. Prova disso foi o desabafo que Lorena Improta fez, durante entrevista à revista 'TOP Magazine', nesta semana. Na ocasião, a dançarina abriu o jogo e revelou que foi parar no hospital.


O motivo? A internet! Lorena explicou que foi duramente criticada por dançar de short jeans, em seu projeto 'O Fantástico Mundo da Lore', o que a fez cair em uma crise de ansiedade. "Foi muito difícil. Há um mês - meus fãs não sabem disso -, eu fui hospitalizada. Eu mostrei que estava meio doente, mas foi uma crise que tive de ansiedade, de confusão mesmo. Foi uma época muito difícil na minha vida. Eu não sabia como lidar com a situação. Eu ficava na minha rede social fazendo uma coisa que eu realmente queria fazer para mudar o cenário e as pessoas estavam me criticando porque eu estava dançando de shortinho jeans para as crianças. Eu falava: 'gente, eu vou ter que dançar como? De calça, porque as crianças não podem me ver de short jeans dançando?'", relembrou.

A apresentadora do 'Me Deixa Dançar', do GNT, contou que sua família foi essencial e a ajudou a passar pelo momento complicado: "meus pais sentaram comigo e falaram pra mim: 'Lore, você precisa ser você. Não adianta você tentar mudar porque todo mundo vai sempre te criticar de alguma maneira'. Eu falei: 'tá bom. Então eu vou voltar com o Show da Lore, que é o que me faz feliz'". 

Preconceito e grana apertada

Em entrevista à revista 'Quem', Lorena também falou sobre o preconceito que existia por ser dançarina, mas ela garante nunca ter se deixado abalar com os comentários por conta de sua profissão. "Existe preconceito. Passei por isso. Meu pai tinha esse preconceito de ter medo do que as pessoas iam pensar, eu era filha única, mas mesmo assim nunca me proibiu. Existe um rótulo para dançarina. Infelizmente já sofri com isso. Falam ' ela é dançarina', mas como se fosse desmerecendo, como se a gente se envolvesse com qualquer pessoa... Mas eu nunca parei para pensar desse lado. Eu sempre pensei: 'cara, sei quem eu sou, da minha índole e meus amigos e família também sabem'. Não tem, porque eu temer isso. Sei do meu potencial na dança e venho crescendo Graças a Deus", garantiu.


À publicação, a baiana relembrou também a fase complicada que enfrentou, logo quando foi selecionada para integrar o balé do 'Domingão do Faustão' e precisou morar em São Paulo. De início, a loira viveu seis meses em um quarto de hotel.

"Passei muito perrengue. As pessoas acham que sempre fui rica. Meus pais sempre trabalharam muito para me dar estudo. Quando fui para São Paulo, eles estavam passando por dificuldade financeira muito grande. Pensei: 'vou ter que lutar'. Eu morei seis meses em um hotel. Era puxado, sofri bastante e tinha uma vida bem restrita. Quando ganhei um carro no faustão e dez mil reais, dei tudo para os meus pais. Eu ganhava uma ajudava mensal, que era muito pouca para ficar em São Paulo, mas depois fui morar com um amigão e comecei a me estabilizar fazendo parcerias e publicidade. Penei bastante e tive que ralar muito para ajudar em casa", confessou.