Nem Te Conto

Erika Januza é vítima de racismo e desabafa: 'Cansaço'

Ao comentar uma das fotos, a internauta chegou a citar a atuação de Erika Januza ao lado do ator Caio Paduan

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

 A atriz Erika Januza, de 33 anos, foi vítima de racismo no Instagram por um perfil identificado como Amanda Souza. "Eu odeio a Erika Januza quem acha ela feia e feida curti e comenta", escreveu a internauta.

Foto: Reprodução
Ao comentar uma das fotos, a internauta chegou a citar a atuação de Erika Januza ao lado do ator Caio Paduan, na novela 'Outro Lado do Paraíso'. "Mais que palhaçada desse @caiopaduan eu adorei que bosonaro ganhou assim ele manda mata esse negros fedidos e a @erikajanuza vai junto odeio essa mulher", complementou.
Foto: Reprodução

Ainda no Instagram, a a atriz comentou o ataque. "Estou muito cansada. Cansada de mais uma vez pedir, lutar por respeito. Não tenho que me desculpar pela minha cor de pele. Isso sempre mexeu muito comigo, e a gente fica perdido quando precisa sair em defesa própria. O sentimento é de tristeza. Mas penso que o preconceito do outro precisa me fazer mais forte. Não posso me curvar. Toda vez que isso acontece, me pergunto até quando seremos alvo de ataques, até quando teremos que falar em respeito. Alguns ainda acham que é o tal do Mimimi. Só quem passa sabe que não é. E quem agride também sabe que não.

Visualizar esta foto no Instagram.

Nao falo disso o tempo todo, pois acho que o respeito é o mínimo que devemos aos nossos semelhantes. Mas hj é um dia diferente, depois de uma postagem de meu amigo @caiopaduan Que me defendeu como sempre e agradeço muito, uma moça resolveu também deixar sua máscara cair e postou uma foto minha em sua rede social dizendo o quanto me odiava, além de fazer um comentário que infelizmente se faz mais presente a cada dia. Está aí nas fotos do meu post. O fato não é me incomodar específicamente com a moça ou com o post. É por um motivo maior. Eu vejo que quando se ataca um negro pelo simples fato de ser, você atacou todo um grupo. EU vejo assim. Um amigo me perguntou como eu estava, pois essas coisa mexem muito com o psicológico. Respondi: meu psicológico está calejado. Sou negra há 30 anos! A cada dia um novo desafio. Nao falo só por mim mas o cansaço é por ver coisas desse tipo todos os dias, com as mais diversas pessoas. Com todos os irmãos, pessoas de bem, homossexuais ou quem quer que seja que sofre algum tipo de preconceito. Só quem passa sabe, só quem ouve, lê, sente um olhar atravessado, sente alguém segurando mais forte a bolsa, te confunde com o funcionário da loja, enfim... são inúmeras as situações que podemos viver em nosso dia a dia. O fato de ser uma atriz ainda me proteje, um pouco, já que as pessoas me reconhecem, ou gostam de algum trabalho: aquela negra... é atriz. E aquela doméstica? E aquela gari? E aquela enfermeira? E aquela Advogada? SOMOS PESSOAS. Merecemos respeito. Estamos em uma nação onde mais da metade é composta por negros e com certeza tem um pouco de nós em todos O sangue em suas veias ou em alguma construção aí pela cidade. Fomos à base do trabalho de construção de muita coisa neste país as custas demuito sofrimento. Um dia ouvi de uma pessoa muito “importante”, não dá mais pra limpar o sangue do brasileiro. É!!! As pessoas dizem coisas assim. E ainda dizem que racismo é Mimimi. Esta doença está aí, latente. Às vezes oculta, mas latente. Eu não baixo minha cabeça. Me entristece, mas não me derruba. Representatividade! É necessária! Sigamos, firmes, fortes, corajosos.

Uma publicação compartilhada por Erika Januza (@erikajanuza) em

Brigar por isso, gritar por isso diariamente. Sou negra e tenho orgulho disso e não mudaria se pudesse. Essa sou eu. Falo também por todas as pessoas que passam por isso todos os dias, sem voz, sem defesa. Eu sempre disse, a minha profissão não me livra de nada, sou uma cidadã, negra. E a cor da minha pele é o motivo do ódio. As pessoas fecham os olhos e atropelam o próximo. Tantos anos se passam e esse ódio continua. Incomodamos. E ser cada dia mais fortes, ocuparmos cada vez mais espaços, incomoda. Nossa força e coragem incomodam. E se é por isso, espero que sigamos, fortes corajosos e maiores que todo o preconceito", complementou a atriz.