Nem Te Conto

Especialistas comentam lista feita por Sabrina Sato e Duda Nagle para visitas à Zoe

Na internet, muitos fãs criticaram o casal por acharem que havia uma preocupação exagerada

Evelin Azevedo, da Agência O Globo
- Atualizada em

Sabrina Sato e Duda Nagle, pais da pequena Zoe, criaram uma lista com dez recomendações para quem fosse visitar a menina na maternidade. As exigências iam de colocar protetores de sapato a não beijar a mãozinha da bebê, que nasceu em 29 de novembro e foi para casa no último dia 3. Na internet, muitos fãs criticaram o casal por acharem que havia uma preocupação exagerada. Especialistas, no entanto, dizem que, nos primeiros dias de vida, todo cuidado é pouco.

— É natural que os pais exerçam um cuidado visto como exagerado diante do filho recém-nascido. Este comportamento revela a preocupação em eliminar quaisquer probabilidades de adoecimento e perda do bebê desejado — diz Márcia Stanzione, professora de Psicologia do Centro Universitário Celso Lisboa.


O zelo pelo bebê nos primeiros dias é necessário porque o sistema imunológico da criança está em formação. — O principal cuidado é em relação à prevenção de infecções. Seria recomendável evitar ao máximo visitas nas primeiras 72 horas, porque nesta fase mãe e filho precisam descansar e curtir as primeiras experiências juntos. Além disto, a mãe está ansiosa com a amamentação e visitas podem aumentar a sua insegurança — afirma Clay Brites, pediatra e neurologista infantil do Instituto NeuroSaber, ressaltando que os pais não devem se preocupar com o que os outros pensarão sobre as suas recomendações: — Se o bebê ficar doente devido à falta de cuidado, quem vai cuidar serão os pais. Então, é importante que as pessoas entendam a necessidade dos cuidados.


O mais recomendável é que os visitantes entrem em contato com os pais do recém-nascido para saber se eles querem ou não receber visitas na maternidade. — Se você estiver doente, é de bom tom que não visite qualquer pessoa, principalmente um bebê — orienta Priscila de Mattos Sillero, pediatra e coordenadora do CTI Pediátrico do Prontobaby Hospital da Criança.

EXAGEROS

Colocar um protetor de sapato

Sabemos que os sapatos podem trazer microrganismos ruins para o ambiente hospitalar. Mas, não há necessidade de que as visitas coloquem protetores de sapatos

Usar uma máscara

Se a pessoa está bem de saúde, não há necessidade de usar máscaras

Não dar palpite

As pessoas costumam dar palpites. Os pais devem relevar os conselhos (caso não gostem de recebê-los). Os pais devem levar em consideração as indicações do pediatra

CUIDADOS

Lavar as mãos e os braços e passar álcool em gel

A pessoa que for visitar o bebê deve lavar bem as mãos e os braços, com água e sabão neutro. Após lavar as mãos, pode usar álcool em gel se quiser

Não usar perfume e não fumar antes da visita

O nariz da criança é muito sensível e cheiros fortes podem atrapalhar a criança

Não espirrar nem tossir dentro do quarto

Caso você esteja doente, isto aumenta o risco de transmitir algum vírus ou bactéria ao bebê

Não acordar a criança se ela estiver dormindo

O sono é fundamental para o desenvolvimento do bebê: por isso, ele não deve ser acordado

Não pegar na mãozinha

A criança costuma levar a mãozinha à boca e aos olhos. Por isso, é importante evitar pegar na mão do bebê para diminuir as chances de contaminação

Não ficar mais de 20 minutos na visita

Nos primeiros dias de vida, a mãe e o bebê estão muito cansados com a rotina. É de bom tom fazer visitas rápidas

Não dar beijinhos na criança

Pode parecer um ato de carinho, mas um beijo pode transmitir vírus e bactérias ao neném. Por isso, nada de beijinhos no recém-nascido.