Nem Te Conto

"Eu, como branca e loira, também sofro preconceito" diz Kelly Key

Ao contrário de 2002, quando ela estampou publicação masculina, ela aparece e sem papas na língua na sessão

Redação iBahia (entretenimento@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
Em entrevista à revista Playboy, a cantora Kelly Key, de 32 anos, explicou sua posição favorável à criminalização da homofobia e disse que, assim como os gays, já foi vítima de preconceito por ser 'branca' e 'loira'. Ao contrário de 2002, quando ela estampou publicação masculina, ela aparece e sem papas na língua na sessão.

"Vou falar uma coisa, não sei muito bem como vão me interpretar, mas enfim: por que só os negros sofrem preconceito? Eu, como branca e loira, também sofro preconceito. E os homossexuais sofrem agressões físicas, são atacados. Por isso acho que essa criminalização já deveria ter acontecido há muito tempo", disse a cantora.

Kelly Key ainda falou sobre o título de símbolo sexual que recebeu do público logo que se lançou na carreira de artista: "Minhas músicas eram muito sensuais e me colocaram como símbolo sexual. Acho que isso despertou a curiosidade dos homens. Aquele foi o meu melhor momento".
Eu, como branca e loira, também sofro preconceito" diz Kelly Key