Nem Te Conto

Ex-BBB Hana rebate críticas por vestido ousado em aniversário

Youtuber surgiu em sua festa com look que mostrava a calcinha

Agência O Globo
- Atualizada em

Hana Kalil, que participou da atual edição do "Big brother Brasil", deu o que falar ao usar um vestido transparente e com uma fenda que deixava a calcinha a mostra durante sua festa de aniversário, na madrugada da última quinta-feira, no Rio. O look, criado especialmente para ela pela estilista carioca Stefany Almeida, dividiu opiniões na internet, com alguns achando que o modelito estava mais para "camisola" e outros afirmando que o vestido estava "mostrando demais".


O jornal 'Extra' procurou a ativista vegana para comentar o assunto, e Hana, como sempre, mandou um recado bem direto aos críticos de plantão: "As pessoas criam um conceito de moda muito imbecil, que é o seguinte: estar na moda ou fazer o que a moda aprova ou o que é aceitável para se vestir, o tamanho, o cumprimento, o que vai mostrar do seu corpo... Quando você escolhe isso relacionando com que as pessoas vão pensar, eu acho que é renunciar seus próprios critérios para garantir uma falsa aceitação de pessoas que você nem conhece e que não querem verdadeiramente que você esteja bem vestida. Eles querem falar, entendeu? E acho que foi isso que eu levantei".

Hana seguiu o desabafo afirmando que se sentiu linda no modelito e que gosta de incomodar e fazer com que as pessoas reflitam sobre suas atitudes. "É o que eu sempre levanto: podem falar o que vocês quiserem, porque eu estou aqui para incomodar mesmo. Eu amo incomodar desse jeito, eu gosto de gerar essa reflexão que as pessoas ficam incomodas pelo que eu estou vestindo. Porque, tudo o que eu faço tem que ser diferente, tem que causar algum impacto. Quando eu vejo que essas pessoas estão me criticando, quando eu vejo que alguma coisa que eu faço levanta críticas desse tipo, eu lembro que eu estou no caminho certo, que eu faço escolhas certas. Me deixa bem tranquila quanto ao que eu penso. Embora eu ache que o problema não é a roupa, sou eu. Se eu tivesse vestindo um Dolce & Gabbana ou Louis Vuitton, eles iam criticar minha roupa, eles iam reclamar também, me julgar, criticar minha roupa. No fim das contas, é melhor você usar e ser quem você quer ser, usar o que quiser usar, porque tua identidade e teus critérios é a coisa mais verdadeira que você pode ter".