Nem Te Conto

Ex dançarina do 'É o Tchan' fala sobre depressão que a fez sair do grupo de axé

Ela conta que foi ajudada pelos familiares para tomar banho e se alimentar, porque não se mexia

Ana Luísa Pontes/Agência O Globo
- Atualizada em

Mais de 20 anos após deixar o É o Tchan, Débora Brasil não está parada. Longe disso! A baiana, de 48 anos, hoje é pastora, missionária, apresentadora de um programa de notícias e revelou que está lançando um CD gospel.

Foto:Reprodução/ Instagram

Débora admite que o ponto de virada em sua vida foi quando sofreu de depressão grave, ainda quando integrava o grupo de axé de sucesso dos anos 90.

— Cheguei a não falar mais, ficava em silêncio. Fui ajudada pelos meus familiares para tomar banho e me alimentar, porque não me mexia. Mas Deus me curou da depressão e da minha síndrome do pânico. Melhorei com as orações. Pouco mais de um ano depois virei missionária. Sou um milagre vivo.

Atualmente, Débora se aventura em várias profissões. Recentemente, ela passou a integrar o “Na lente”, programa de entretenimento, ao lado do jornalista Helton Carvalho. Além do programa televisivo, que vai ao ar em seis estados, ela também comanda seu próprio canal no YouTube.

Mas a grande novidade na vida de Débora é o seu álbum, que ainda não tem data de lançamento. Apostando na carreira de cantora, a pastora garante que está preparando um projeto grandioso para os fãs de música gospel do país.

— Eu ainda estou fazendo tudo com muita calma, sem pressa. Mas já gravei duas músicas e estou muito animada com esse projeto novo da minha vida. Espero levar a palavra de Deus para todos.

Amor próprio

Após passar por um momento difícil com a depressão, Débora conta que aprendeu a se amar e diz que o cuidado com si ajuda muito a tratar a doença.

— Eu me cuido. Sou mulher e a gente tem esse cuidado especial, gosto de maquiagem e de moda, nada exagerado. Mas a gente não pode ser escrava dessa vaidade. É uma questão de autoestima. Não faço para os outros, faço para mim. Como eu vou amar o próximo se eu não me amar? Me arrumar faz parte do amor próprio.