Nem Te Conto

Felipe Titto revela que dispensa fantasias na hora H

Titto, sem ser trivial, faz coro com Odair no que diz respeito a apelar para personagens na hora H.

Agência O Globo
Nádia (Eliane Giardini, de 65 anos) está pronta para dar o bote em Odair (Felipe Titto, de 31) em “O outro lado do paraíso”, com as fantasias sexuais que apimentavam a relação dela com Gustavo (Luis Melo). Mas ao partir com tudo para cima do jovem, cheia de desejos sadomasoquistas, ele nega fogo. Adepto do “papai e mamãe”, o cabeleireiro estranha a dose cavalar de sexualidade da amante. Titto, sem ser trivial, faz coro com Odair no que diz respeito a apelar para personagens na hora H.
Foto: Divulgação/Globo
— Nádia é igual a arroz de vó, toda soltinha. Já Odair é rústico, mais tradicional. Todas as vezes em que tentaram fazer comigo eu dei risada. Acho fantasia mais engraçado que erótico. Não é sensual. Prefiro sem roupa — diz o ator, que fora da ficção também nunca manteve um relacionamento com essa diferença de idade.
O romance na novela fez disparar a ousadia das mulheres mais experientes:
— Antes da história com Nádia, eu já tinha esse contato com o público mais velho, mas era uma coisa de admiração e tal. Agora recebo muitas cantadas de mulheres mais velhas. Senti bem essa mudança, mas é sempre respeitoso. Está tudo certo!
Na trama, Nádia seduz o rapaz para dar o troco no ex-marido traidor. Titto conta que jamais pagou na mesma moeda. Mas admite que já foi usado:
— Eu nunca fiz isso, mas descobri que já fui objeto de vingança uma vez. A mulher só ficou comigo para causar ciúme no ex dela.
Da estreia em “Malhação”, há 13 anos, para cá, o ator vem colecionando papéis de destaque. Em sua quarta novela das nove, ele enfatiza que não cai nas armadilhas da fama:
— Eu tinha 17 anos na época de “Malhação” e foi uma das fases mais difíceis da minha vida. Fui despejado pela segunda vez com a minha família, recebia um salário de R$ 1.500 para bancar todo mundo em casa. Já era contratado da Globo mas, nos fins de semana, eu pintava portão para complementar a renda. Nunca fui celebridade. Mantenho os pés no chão.
O ator em números:
São mais de 180 tattoos
“Falar que não tem mais preconceito é mentira, mas empurrei isso goela abaixo. É minha quarta novela das nove, e todas com as tattoos expostas. Temos nosso valor’’.

10º empreendimento
“Tenho site de classificados, oficina de customização de motos, estúdio de tatuagem, restaurante, galpão esportivo... Agora estou abrindo ‘o melhor bolinho de bacalhau do mundo’. Parei de estudar na 7ª série, mas as coisas foram acontecendo. Sou muito interessado, vou atrás’’.
O sucesso de Titto chamou atenção dos leitores do EXTRA, que enviaram perguntas para ele. Confira abaixo.
Você está solteiro? Qual foi a maior loucura de amor que já fizeram para você? (Mariana Tortiona)
Sim, estou solteiro! Uma vez, encontrei uma fã dentro do armário de um hotel. Foi louco! Tirei uma foto, e ela foi embora.
Na sua opinião, o que existe do outro lado do paraíso? (Marcos da Rocha)
Não acredito nesse outro lado do paraíso na verdade. Se houver, acho que vamos encontrar tudo que não encontramos aqui... As coisas que ficaram em aberto.
Foto: Divulgação/Globo
Mudar o corpo foi uma estratégia para se tornar um “produto” mais atrativo num mercado tão disputado? (Vanusa Macedo)
A mudança foi em consequência de eu voltar a comer carne. Eu era vegetariano. Talvez, por isso, não conseguia ganhar peso e massa muscular. Mas uma coisa fundamental para o ator é persistência. É um meio disputado e com ótimas referências. Então, para disputar, tem que estar preparado e seguir com força. Porque se desejar mais ou menos, a coisa não vai acontecer.
Como consegue ter essa barba tão linda? (Fernanda Lima)
Eu fui deixando crescer por conta do personagem. Cuido dela com xampu específico e passo cera. Nada demais! Mas o cabelo tem todo um cuidado específico. Ele é muito crespo, e eu usava só sabonete para lavá-lo. Agora, tem uns 200 alisamentos aqui (risos). Tenho uma linha própria de produtos de cabelo, barba, bigode, corpo, condicionador... Eu tiro o chapéu para as mulheres, que têm todo um ritual de cuidado, enquanto a gente é todo largado (risos).
Você tem alguma identificação com Odair? (Lene Silva)
Ele estava atrás de emprego e acabou aprendendo a profissão de cabeleireiro para se sustentar. Eu me identifico com ele nesse sentido, a gente não tem medo de encarar os desafios. Mas, se fosse na vida real, eu preferiria ser barbeiro. Cuidar de cabelo de mulher é difícil demais.
Como é, hoje, a sua relação com o local (Parque São George, em Cotia, São Paulo) em que você foi criado? Você sente que é uma inspiração para os meninos de lá? (Kaike Marcello)
Passo por lá sempre. Às vezes, paro para falar com a galera. Os meus carros antigos eu conserto nas oficinas de lá. Com certeza, os moleques da região se inspiram um pouco em mim.
Os dois Ts do seu sobrenome são por conta de numerologia? Você é muito ligado nessas coisas esotéricas? (Bruno Antunes)
Meu nome sempre foi assim! Titto é uma cidade da Calábria, na Itália. Eu não tenho religião alguma, mas me conecto muito forte com Deus.
Você tem vários empreendimentos e cuida das carreiras de Lucas Lucco, Kéfera e Arthur Aguiar. Quem cuida da sua vida profissional? (Sandra Mara Pontes)
Eu cuido de mim mesmo junto com a galera do meu escritório (risos).