Nem Te Conto

Fernanda Gentil fala da saudade da família, leis da Rússia e polêmica com brasileiros

Em sua terceira cobertura de Copa do Mundo, Fernanda comenta ainda as particularidades de cada trabalho

Patrícia Kogut, da Agência O Globo
- Atualizada em

Recuperada após passar mal na Rússia no domingo (17), Fernanda Gentil voltou aos estúdios da Globo em Moscou nesta terça (19) para apresentar o "Bom dia Brasil" ao lado de Ana Paula Araújo. A apresentadora teve uma indisposição após comer um prato com camarão e precisou se ausentar do jornalístico por um dia. Por isso, toma mais cuidado com a alimentação: - Agora estou mais no básico mesmo.


Em sua terceira cobertura de Copa do Mundo, Fernanda comenta as particularidades de cada trabalho: - As três já são inesquecíveis para mim. A da África do Sul (2010) foi marcante por ser a primeira, vai ficar para sempre na minha memória como o primeiro grande objetivo conquistado. A do Brasil (2014), por ser em casa, foi um sonho. Nunca imaginei cobrir uma Copa no país e ainda fazendo os flashes da Seleção. A da Rússia é a primeira com família (seu filho Gabriel nasceu em 2015) e longe de casa, para morrer de saudade. Estou ancorando os programas do nosso estúdio, em uma posição de muita confiança que a Globo me deu. Portanto, uma imensa responsabilidade. O jornalista esportivo trabalha a vida inteira para cobrir grandes eventos e é exatamente o que estou fazendo. Então, me sinto muito realizada.

Nas duas edições anteriores, Fernanda não viu o Brasil ser campeão. Agora, ela aposta que a Seleção conquistará o hexacampeonato: - Adoro o trabalho do Tite, estou muito confiante.

Sobre a distância da família e da namorada, a jornalista Priscila Montandon, ela afirma que "a saudade é dilacerante desde o primeiro dia". - Mas a tecnologia ajuda e daqui a pouco estaremos juntos - diz Fernanda, que receberá a visita dos filhos (além de Gabriel, Fernanda cuida de Lucas, seu afilhado), da mãe e da namorada nos últimos dias da Copa.

Fernanda conta ainda como tem sido a relação com os russos: - Eles estranham um pouco se você já chega falando em inglês, mas um simples 'oi' ou 'bom dia' em russo já quebram o gelo. Eles querem muito acabar com essa imagem de frios e distantes.

Durante uma participação no "Encontro com Fátima Bernardes", Fernanda disse que estava "bem menininha" na Rússia por causa da recomendação para casais homossexuais não demonstrarem afeto em público: - Foi o que eu disse: toda lei é questionável, assim como questionamos várias leis brasileiras também. Mas, até que elas mudem, temos obrigação, como cidadãos, de cumpri-las, a não ser que queiramos pagar o preço. Mas várias outras leis também levantaram polêmica por aqui, principalmente durante a Copa, como por exemplo a que não permite que bandeiras estrangeiras sejam exibidas em locais públicos. Em uma Copa do Mundo, como eles vão controlar isso? Acho que, nos 30 dias de Mundial, eles podem estar mais flexíveis, mas que é lei é.

Outro caso que ocorreu durante a Copa e vem repercutindo foi o do grupo de brasileiros que assediou uma estrangeira. Fernanda diz que não conversou com torcedores do país sobre o assunto, mas acompanhou pelas redes sociais: - Minha opinião é que esses sete rapazes não representam o brasileiro em geral, muito menos os 60 mil que são esperados aqui na Rússia durante a Copa.