Nem Te Conto

Flora Gil se manifesta após ataques racistas à Preta Gil

"Covardes!", disparou a madrasta da cantora nas redes sociais

Agência O Globo

Madrasta de Preta Gil há 37 anos, Flora Gil usou o seu perfil no Instagram para se manifestar a favor da cantora, que na noite desta segunda-feira recebeu mensagens racistas em sua página no Facebook. "Injúria por preconceito da cadeia. Por que essa gente que escreve essas coisas não mostra a cara? Covardes! #somostodospretagil", escreveu a empresária. 


Na tarde desta terça, ela procurou Delegacia de Crimes de Informática (DRCI) para prestar queixa. "Ontem fui atacada com diversas mensagens de ódio em minha página no Facebook; uns atacaram minha cor, meu trabalho, meu corpo, outros tentando fazer piadas de péssimo gosto apenas para tentar me diminuir ou magoar, eles assinaram todos os posts com uma # agiram em bando. São organizados e cruéis. Saibam esse tipo de ataque só me fortalece, eu conheço o meu valor”, disse ela.

Entenda o caso 

A cantora Preta Gil foi vítima de preconceito na internet. Em seu perfil na rede social Facebook, a cantora fez um desabafo e relatou os ataques contra ela, registrados na segunda-feira (26). "Ontem fui atacada com diversas mensagens de ódio em minha pagina no Facebook; uns atacaram minha cor, meu trabalho, meu corpo, outros tentando fazer piadas de péssimo gosto apenas para tentar me denegrir ou magoar", desabafou.

Ainda segundo Preta, a ação foi planejada por um grupo que, segundo ela, agiu em bando. "Eles assinaram todos os posts com uma # [hashtag] agiram em bando, são organizados e cruéis. SAIBAM esse tipo de ataque só me fortalece, eu conheço o meu VALOR", escreveu. Preta disse ainda que desde muito jovem convive com o preconceito daqueles que não aceitavam ver uma filha de negro em uma escola particular e de quem não consegue aceitar que uma pessoa se chame Preta. Segundo informações do portal G1, a assessoria de imprensa da cantora disse que ela irá registrar o caso na Delegacia de Crimes de Informática. "São covardes, são pessoas vis, não sei quem são. Vou me defender em meu nome e de quem mais se sentiu ultrajado com essa verdadeira doença social", continuou a cantora na postagem.