Nem Te Conto

Humorista Gustavo Mendes quer falar Libras e critica Michelle Bolsonaro

Ele ficou conhecido pela imitação da ex-presidente Dilma Rousseff

Agência O Globo
- Atualizada em

Gustavo Mendes, conhecido por fazer uma irretocável imitação da ex-presidente Dilma Rousseff, decidiu levar para seus shows a inclusão de surdos. O humorista vai aprender Libras e contratou um especialista em linguagem dos sinais para acompanhá-lo nas apresentações.

Foto: Reprodução/Instagram

“Veio da necessidade de me comunicar, simples assim. Os surdos tem muito a dizer, eu tenho muito a dizer e queremos nos comunicar com fluidez uns com os outros. Empatia e inclusão são bandeiras que já havia tomado pra minha vida e agora quero usar meu trabalho pra poder fazer todo nundo rir, surdo ou não”, analisa Gustavo.

A novidade nada tem a ver com o movimento feito pela primeira-dama Michelle Bolsonaro, que faz campanha para os surdos. “Ela não é a maior representante, ninguém que está ao lado, concordando e aceitando os absurdos que seu, ‘conje’, como diria o ministro Moro, tem o direito de falar sobre empatia e inclusão antes de usar os surdos como plataforma para parecer boa moça”, critica ele, que não pretende criar uma personagem para a mulher do presidente: “Não creio que tenha relevância, não acho graça. Não vejo apelo cômico, não agora, pelo menos”.
Foto: Reprodução/Instagram



Gustavo está otimista com o novo aprendizado e já faz planos. “Não sei, mal comecei, mas tenho evoluído rápido. Creio que em seis meses já poderei marcar alguns ‘rolês’ com amigos surdos, sem ajuda de um intérprete”, acredita.

Recentemente, o humorista falou abertamente sobre sua orientação sexual, está namorando e diz que teve mais empatia do público: “Revelei ser gay, revelei agora porque só agora um jornalista perguntou, nunca foi algo que eu tivesse vergonha ou precisasse esconder, esse sou eu. Ser gay é só mais uma de tantas características que tenho. Estou namorando. Ganhei mais público, não mudou nada, meu público sempre foi diverso e a diversidade sempre foi minha bandeira, nos palcos e na vida”.