Nem Te Conto

Investigada por suposto tráfico de crianças, MC Mirella tem perfil voltado ao público teen

Cantora foi denunciada por suposto assédio de crianças e adolescentes para fins sexuais

Ana Clara Veloso, da Agência O Globo

Investigada pelo Ministério Público Federal (MPF) por suposta prática de tráfico internacional de crianças e adolescentes para fins sexuais, a cantora MC Mirella tem um perfil voltado para crianças e adolescentes no Instagram, com 73 mil seguidores. Na rede social criada para segmentar seus cliques de acordo com o público — no perfil principal, com mais de 10 milhões de seguidores, ela compartilha muitas poses sensuais —, a cantora posta fotos com roupas mais comportadas e cenas de carinho com fãs mirins. A postura da funkeira com esse mesmo público, no entanto, já foi alvo de polêmica, ao gritar em frente a uma escola: "Estudar não dá em nada".


O conselho foi dado por Mirella durante uma visita a sua antiga escola em São Caetano do Sul, na Região Metropolitana de São Paulo. Em cima do capô de um carro, a cantora foi gravada rebolando e gritando aos estudantes: "Gente, não estudem. Estudar não dá em nada. Falando a verdade para vocês, nem percam o tempo de vocês". Após as imagens viralizarem, porém, Mirella postou uma retratação na internet: "Vocês precisam ser independentes o mais rápido possível, pra ter as coisas de vocês, estudem sim, trabalhem, arrumem algo que gostem pra fazer e se apaixonem pelo que fazem todos os dias um pouco mais (comigo é assim). Melhor coisa, juro". E ainda sugeriu abrir uma seleção entre estudantes com notas altas e aspiração de se tornarem cantores de funk para amadrinhar um deles.

A carreira de MC Mirella tem marcas pessoais positivas, que também já foram convertidas em ações elogiadas. Uma das funkeiras mais seguidas no Instagram e com um clipe que tem 92 milhões de visualizações — "Quer mais?", disponível no canal da MC Pocahontas, com quem gravou o hit —, ela já convocou fãs e amigos a ajudarem um senhor humilhado em um supermercado no final de março deste ano. Vanderlei, como foi identificado, tentou furtar um pacote de linguiça, mas foi flagrado pela dona do estabelecimento, em Matinhos, no litoral do Paraná, e levou até um tapa no rosto. O idoso, porém, alegou estar passando fome.

Ao ter conhecimento do caso, que viralizou através de vídeos na internet, Mirella pediu que seus fãs localizassem o idoso, o visitou em casa e mostrou a situação em que Vanderlei vivia. Depois disso, organizou uma vaquinha com o objetivo de doar R$ 30 mil para ele, mas conseguiu R$ 74.938,98 até o momento. "Julgam tanto o funk, mas meu movimento ainda vai ajudar muitas famílias, jovens e animais no mundo inteiro. Como eu disse: vamos reconstruir o Brasil com uma sociedade mais humanitária. Obrigada a todos que estão apoiando! É por uma boa causa! 16 horas de estrada mas valeu muito a pena. Parei pra ver com meus próprios olhos e é um alívio saber que vamos conseguir ajudar quem tanto precisa! Obrigada a todos!!!", postou no Instagram.

A funkeira também já brigou pelas redes sociais com a socialite Day McCarthy, a mesma que fez ataques racistas à Titi, filha dos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank.

Denúncia foi feita na internet

Uma internauta, conhecida como Gabi Rocha no Twitter, acusa a MC Mirella de aliciar menores de idade para prostituição por meio das redes sociais. Segundo a jovem, que divulgou prints de conversas supostamente tidas com a cantora há dois anos, MC Mirella teria feito uma proposta para ela passar o final de semana com o dono de um shopping, oferecendo valores entre R$ 2 mil e R$ 5 mil. De acordo com as conversas, a fã recusou a proposta da artista, alegando que namorava. Na época, a jovem que hoje tem 18 anos, ainda era menor de idade.

Procurada pelo jornal 'Extra', a produção responsável pela carreira da cantora não respondeu aos contatos.