Nem Te Conto

Iris Stefanelli revela que irmão gay sofreu com polêmica com Ariadna em 'No Limite'

Participante do 'BBB 7' contou ainda que soube da sexualidade de Everton há 25 anos

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

A ex-BBB Iris Stefanelli que virou alvo de críticas nas redes sociais após uma fala no programa 'No Limite', durante uma conversa sobre prostituição com Ariadna, revelou que o seu irmão, o cabeleireiro Everton Stefanelli, foi o que mais sofreu com a polêmica. 

"O meu irmão é homossexual e foi o que mais sofreu com essa história da Ariadna, porque ele é apaixonado por mim e sabe que eu não assim", disse Iris, afirmando que foi "mal interpretada".

"Fiquei muito chateada com essa história. Se tem uma coisa que eu não sou é preconceituosa. O ser humano tem que ser amado, respeitado. A gente tem uma vida para viver e temos que fazer o bem para o outro. Fiquei muito chateada mesmo em ver as pessoas julgando você por uma coisa que você não é. É muito triste isso. Mas eu sempre tendo entender o lado da pessoa. É difícil, mas sei que tem muita gente que me conhece e sabe como eu sou", continua ela.

De acordo com o jornal Extra, assim que saiu do confinamento e soube da polêmica, a ex-sister fez um vídeo falando sobre o assunto. "Nossa conversa era o seguinte: sobre altos e baixos da vida de artistas. Hoje você tá empregado, amanhã não está. Hoje tem emprego, e amanhã não tem. Revista fecha, revista abre, muda para Instagram. Daí eu falei: ‘o melhor caminho para gente é estudar. É tentar manter um curso paralelo’. E ela pegou e falou: ‘Mas no meu caso’. Eu não estava falando sobre o teu caso, Ari, eu estava falando sobre a vida do artista”, explicou a artista, citando o irmão no vídeo: "Tenho um irmão homossexual".

A participante do 'BBB 7' contou ainda que soube da sexualidade de Everton há 25 anos e diz que o irmão é a alegria da família:

"No começo, não foi fácil. Meu pai não queria e não aceitou bem. Foi meio que um choque. Mas hoje, ele é muito amado, meu pai não tem preconceito nenhum. Meu irmão é muito engraçado, ele brinca, faz show aqui em casa, chama a gente de queridinha, dança e mata a gente de rir. É a alegria da minha vida, da família toda. Minha relação com ele é muito boa. Sou mais que uma irmã, sou uma espécie de mãe dele. Dou conselhos, broncas. Não existe essa coisa de preconceito, tenho muito amor pelas pessoas. Nunca tive preconceito com ninguém".