Nem Te Conto

'Já terminei por sentir ciúme', revela Alinne Moraes

Atriz vai viver a vilã Isabel na próxima trama das 18h, 'Espelho da Vida'

Agência O Globo
- Atualizada em

Alinne Moraes vai exercitar a vilania em “Espelho da vida’’, novela das seis que estreia dia 25. Isabel, sua personagem, é uma jornalista dissimulada e mau-caráter. Trai o noivo, Alain (João Vicente de Castro), com o primo dele, Felipe (Patrick Sampaio), morto vítima de um aneurisma cerebral logo após a descoberta do romance proibido. Grávida e sozinha, passa a viver um calvário. E é capaz de tudo para ter o quer.

Foto: TV Globo/Divulgação

— Tenho que carregar nas minhas ferramentas. Todo ser humano tem coisas boas e ruins. Muita gente acha, por exemplo, que ciúme é positivo. Eu não acho! Penso que tudo o que a gente alimenta aumenta, seja ciúme, raiva, amor... Tenho coisas ruins dentro de mim, fiz seis anos de terapia, conheço elas, mas não alimento. Já o vilão se sente nutrido por tudo isso — explica a atriz.

Alinne lembra de ter vivido relacionamentos possessivos quando era mais nova e diz que abriu mão deles para não entrar nessa paranoia: — Eram relações que não estavam tirando o meu melhor. Já terminei simplesmente por sentir ciúme. Insegurança, raiva, inveja são sentimentos que eu abomino.

E foi assim, com maturidade, que essa paulista de 35 anos lidou ao ver seu pai pela primeira vez só aos 22: — Ele ligou para Globo para me conhecer. Eu poderia ter entendido que não queria porque ele nunca foi atrás de mim. Mas desde pequena eu já dizia para minha mãe que ele era muito novo, que errou. Esse entendimento de me colocar no lugar das pessoas me fez ser atriz. A arte me salvou!

Oito ano após o encontro, o pai de Alinne morreu, sem deixar resquícios de mágoa: — Não tinha o que perdoar. A partir do momento que entendo, vou perdoar o quê?

‘Vai namorar o papai!’
Na nova trama das seis, de Elizabeth Jhin, Priscila (Clara Galinari) sofre com a frieza de sua mãe, Isabel, interpretada por Alinne Moraes. Bem diferente de Pedro, filho da atriz, de 4 anos, que é cercado de todo cuidado e amor, mas sem neuroses. Casada com o cineasta Mauro Lima, Alinne conta que nunca deixou de lado a rotina do casal.

— Todo sábado a gente passa o dia inteiro com o Pedro, depois o coloca na cama, sai e só volta seis da manhã para casa. Pedro vai dormir dez da noite e acorda nove da manhã. É bom porque a gente pode acordar ao meio-dia e só perde duas horinhas com ele. E o casal se mantém. É muito importante. Ele já sabe e diz: “Mamãe está se arrumando porque vai namorar o papai!”. É a melhor coisa do mundo — orgulha-se a atriz.

Uma baladinha a dois até que vai, mas viagem a sós, no máximo, por uns cinco dias. Gravando fora do Rio, ela combinou um esquema de folgas para não ficar tanto tempo longe do pequeno: — Não consigo. Não adianta! Tenho um problema (risos). Hoje, trabalho para poder viver, antes eu vivia para o trabalho. Durante a única viagem que a gente fez sem ele, como eu queria estar presente, mandava para babá um videozinho falando que estava morrendo de saudade e chamando para brincar de “quente ou frio”. Daí eu ia indicando onde estavam uns livrinhos de quebra-cabeça que deixei escondidos. Agora, para a novela, a equipe viaja dez dias por mês. Eu fico dois, três fora e faço uma parada de um, dois dias em casa, depois volto a gravar novamente. Eu disse: “Ó, gente! Vou estar 100% pra vocês só se minha vida estiver OK!”.