Nem Te Conto

Lore Improta se pronuncia sobre polêmica com estilista

Dançaria processou o rapaz por ele não ter entregue uma roupa a tempo

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Lorena Improta decidiu se pronunciar sobre o processo movido contra o estilista Guerreiro Cavaleiro. Em entrevista concedida a Léo Dias, colunista do UOL, a dançarina explicou o ocorrido.

Foto: reprodução
"Fiz o pedido da roupa no dia 12 para o evento que foi dia 26. Decidimos que seria feita com acrílico, e ele me pediu para adiantar o pagamento para pedir o acrílico. Fiz no mesmo dia. Faltando cinco dias para o evento, entrei em contato para saber como estava tudo, mas não consegui respostas concretas", relatou Lore a Leo dias.

A loira ainda contou que, dois dias antes de se apresentar, o estilista informou que um dos materiais para a produção do figurino só chegava na véspera do evento, mas que daria tempo para fazer o item e iria enviar para ela no mesmo dia.

Para a dançarina, o que mais a irritou foi não ter ganhado qualquer tipo de assistência por parte do estilista. Ela ainda chegou a pedir uma roupa do acervo de Guerreiro, mas o rapaz foi grosso.

"Eles poderiam ter me avisado desde antes ou, então, tentar me ajudar de uma outra maneira, fazer uma outra roupa para mim, me indicar um outro estilista, mas eu não tive nenhuma ajuda deles (...) Só queria o dinheiro de volta e eles falaram que não iriam devolver", desabafou.



Segundo o colunista, Guerreiro Cavaleiro também se pronunciou sobre o caso. O estilista afirmou que a roupa não ficou pronta a tempo por questões que envolveram os fornecedores e que Lorena sabia disso. Ele ainda falou que tentou ajudar a dançarina a resolver a situação.

"Tentamos um plano B, fornecendo uma peça do nosso acervo pessoal, mas não deu certo. Entramos em um acordo para estornar 50% do valor pago, mas a Lore se recusou. Estava mais preocupada em complicar do que resolver", contou Guerreiro.

A dançarina havia encomendado um vestido ao estilista para se apresentar na quadra da Escola de Samba Viradouro, no valor de R$ 3,5 mil, mas ela relatou que não recebeu a peça a tempo e nem o dinheiro de volta.