Nem Te Conto

Luciana Vendramini fala do trabalho na TV e prepara livro sobre sua luta contra o TOC

Atriz está no ar como Solange, na novela 'Espelho da Vida' (TV Globo)

Patrícia Kogut, de Agência O Globo
No ar como a Solange de "Espelho da vida", Luciana Vendramini conta que, assim como a personagem, já passou por problemas com colegas de elenco ao longo da carreira. Na novela, a atriz não mantém bons relacionamentos com Carmo (Vera Fischer) e Emiliano (Evandro Mesquita), com os quais contracena no filme de Alain (João Vicente de Castro).
Foto: Reprodução
- Sou muito generosa, mas nem sempre as pessoas estão no set com esse mesmo espírito. Já passei por situações bem chatas, um clima de competição desnecessário. E, quando isso acontece, o trabalho não flui como deveria. É preciso realmente colocar um muro entre o personagem e o ator em cena e ter muita frieza - afirma a atriz.
Ela ressalta, no entanto, que essa não é uma questão durante as gravações da trama das 18h. Além de reencontrar o diretor Pedro Vasconcelos - que interpretou o irmão caçula de Jade, sua personagem em "Vamp" (1991) -, o papel trouxe outras gratas surpresas:
- Quando comecei a fazer teatro na adolescência, na minha cidade natal (Jaú-SP), umas das primeiras cenas foi ao som de 'Você não soube me amar', da Blitz. Atuar agora ao lado do Evandro é ver um filme passando na minha cabeça. Penso em tudo o que vivi de lá para cá.
Já sobre Vera Fischer, que não conhecia pessoalmente antes de "Espelho da vida", Luciana diz que foi o início de uma grande amizade.
- Sempre admirei a Vera pela artista que ela é. Aí descubro que essa mulher é também um doce de pessoa. Nos damos muito bem. Costumamos sair para jantar juntas e bater papo sobre a vida. Parece até que já nos conhecíamos de outra vida - brinca.
Aliás, a temática espírita, elemento central da trama de Elizabeth Jhin, foi um tabu que a atriz precisou superar até aceitar o trabalho:
- Eu tinha muito medo de espírito. Era uma coisa infantil, uma bobagem enorme, mas qualquer barulho ou estar num ambiente escuro me apavoravam. Sou afilhada de um espírita e ele sempre disse que, por mais que fugisse, esse tema iria aparecer na minha vida de uma forma ou de outra. Acabou surgindo de maneira maravilhosa.
Na novela, a personagem passa por uma grande crise por conta da idade. Na vida real, aos 48 anos, Luciana diz que não se incomoda com isso.
- A maturidade é se aceitar e não passar a vida em busca de uma beleza inatingível. Mas acho que a cobrança em cima da mulher hoje é mais em relação ao peso do que à idade. Eu, por exemplo, tive problemas de hérnia e precisei ficar sem fazer exercícios. Ganhei seis quilos, que estou perdendo aos poucos. Mas não vou ficar louca por causa disso - explica Luciana, recém-separada do psicanalista Francisco Borges, com quem estava junto desde 2016. - Continuamos grandes amigos. 
Após "Espelho da vida", a atriz vai finalizar o livro em que relata a longa batalha para superar o Transtorno Obsessivo Compulsivo, escrito em parceria com o jornalista Armando Antenore. A ideia é lançá-lo em 2019:
- Assim como ocorreu com a questão do feminismo, está na hora de a discussão sobre a saúde mental deixar de ser um tabu.