Nem Te Conto

Marcelo Falcão vive guerra na Justiça por causa de pensão retroativa; entenda

Cantor e filha estiveram em audiência nesta segunda-feira (24)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

 Nesta segunda-feira (24), Marcelo Falcão esteve em audiência , no Rio de Janeiro, e ficou de frente com a filha, Ágatha Cristal Silveira, de 20 anos. De acordo com informações Leo Dias, do 'UOL', o artista e a menina, que teve sua paternidade reconhecida em 2016, vivem uma guerra na Justiça por causa de uma pensão retroativa. O processo está atualmente em segredo de Justiça. 

Foto: Divulgação 

Segundo a publicação do jornalista, a mãe da menina solicitou em 2008, na Justiça, o valor pela pensão da filha, sem pedir de imediato o exame de DNA e comprovando a paternidade – Ágatha inclusive, como apurou o Blog, era, até então, registrada com o nome de outra pessoa como pai pois sua mãe era casada e Falcão não tinha nenhum conhecimento da filha. Porém, apenas em 2016, por DNA foi pedido um reconhecimento de paternidade em uma ação investigativa cumulada com alimentos que corre também em sigilo na Justiça.

Ainda de acordo com Leo Dias, o mesmo ano que a paternidade de Ágatha foi reconhecida, o juiz determinou o pagamento provisório de 12 salários mínimos, que chega a ser aproximadamente a 12 mil reais, que estão sendo pagos. No entanto, os advogados da filha de Falcão pedem um aumento para 23 salários, fora o retroativo desde o início da ação, o que chega a quase um milhão e oitocentos reais. A defesa alega que o cantor já teria pago essa mesma quantia para um outro filho reconhecido na Justiça. 

Através de uma nota, a assessoria do ex-vocalista da banda 'O Rappa', repudiou às informações na imprensa e esclareceu: 

"A assessoria jurídica do artista Marcelo Falcão Custodio, através de seu advogado José Estevam Macedo Lima, vem a público declarar que as mensagens enviadas ao colunista Leo Dias, pela Sra. Thiene Balthazar, mãe de Agatha Balthazar, configuram repudiável desacato ao segredo de justiça, além de ofensas infundadas desferidas contra o Judiciário e ao exercício da Advocacia. O cantor Marcelo Falcão aproveita a oportunidade para esclarecer que compareceu espontaneamente na audiência realizada ontem, assim como a todos os demais atos processuais, sendo que a demora do julgamento da ação tem como único motivo o fato da parte autora, representada por sua mãe a época, ter sido obrigada restaurar os autos do processo. Em síntese, a presente nota serve para esclarecer a verdade dos fatos, e também para lamentar não só a exposição desnecessária e midiática de uma situação de cunho privado, e, sobretudo, o fato do cantor ter sido privado da infância de sua filha".