Nem Te Conto

‘Minha filha tem algo que esses caras não têm: amor’, diz Bruno Gagliasso

Ele e a esposa foram à Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) para prestar queixas contra comentários racistas

Agência O Globo

O ator Bruno Gagliasso, que participou do programa “Domingão do Faustão” como jurado do quadro “Dança dos Famosos” disse que em relação ao preconceito é preciso ser intolerante. Bruno e sua mulher, Giovanna Ewbank foram à Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) para prestar queixas contra comentários racistas direcionados à filha Titi, de 2 anos.

— Minha filha tem algo que esses caras não têm: amor. Em relação ao preconceito, a gente tem que ser intolerante. Eu fiz o que eu tinha que fazer. Agora cabe à polícia. Temos policiais bons e vão descobrir — disse Bruno Gagliasso, durante o programa.

Na página do Instagram de Giovanna, um internauta, cujo perfil já foi excluído, fez comentários racistas sobre uma foto postada pela atriz na última terça-feira: “Vocês tinham que adotar uma menina de olhos azuis, isso sim iria combinar, e não aquela pretinha que parece uma macaquinha #lugardepretoénaáfrica.

ADOÇÃO EM VIAGEM À ÁFRICA

Faustão lembrou que o casal decidiu adotar a menina quando Giovanna Ewbank fez uma viagem à África para fazer uma reportagem para o programa. Bruno Gagliasso disse que durante um ano e dois meses, ele e a mulher viajaram sete vez para o continente africano e chegaram a fixar residência antes de adotar Titi.


Artistas que sofreram com o racismo em 2016



Preta Gil, cantora: Preta decidiu procurar a delegacia para falar sobre os ataques racistas que sofreu nas redes sociais em julho deste ano. Acompanhada do marido Rodrigo Godoy, de uma advogada e do empresário, a filha de Gilberto Gil denunciou os ataques de um grupo intitulado #MM, e que de acordo com a cantora, era administrado por crianças.

Ludmilla, cantora: A funkeira prestou queixa na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, em maio deste ano por conta das ofensas nas redes sociais. Ludmilla chegou a compartilhar as ofensas em seu perfil no Instagram e afirmou que ia até o fim nesta luta.

MC Carol, cantora: A funkeira prestou queixa em agosto deste ano na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), no Jacarezinho, Zona Norte do Rio, após receber comentários racistas de um grupo de pessoas em sua página no Facebook.



Adélia, ex BBB: As contas da advogada no Instagram e no Facebook foram alvos de ataques racistas em abril deste ano. Em entrevista ao site 'Ego', a artista contou que está reunindo provas para entrar na Justiça e buscar os culpados pelos crimes digitais.

Gaby Amarantos, cantora: Capa da 'Boa Forma' de novembro, a cantora Gaby Amarantos foi vítima de racismo na web e foi defendida por fãs. "Gaby nada contra você, mas você é moreninha e morena não merece estar no Brasil merece estar na África porque lá é lugar de pretos vc é neguinha e tem o cabelo cacheado #Forapretos!", escreveu uma seguidora.