Nem Te Conto

Pai de muitas viagens, Bial posa pela primeira vez com todos os filhos

Quinta filha do apresentador, Dora faz participação especial no ensaio, dentro da barriga da mãe, a jornalista Maria Prata

Agência O Globo

Pedro Bial aproveitou cada segundo das quatro horas que passou no estúdio do fotógrafo Bob Wolfenson, em São Paulo, para corujar os filhos. “É muito raro estarmos todos juntos, nem no Natal conseguimos”, diz o apresentador carioca, baseado em São Paulo há dois anos, desde a estreia do programa “Conversa com Bial”.

Filha de seu casamento com a jornalista Renée Castelo Branco, Ana, de 32 anos, é artista plástica e mora com o marido americano em Nova York. Seu filho com a atriz Giulia Gam, Theo, de 21, é músico, faz faculdade de Filosofia (depois de trancar Administração) e vive no Rio, pertinho do irmão José Pedro (filho de Bial com a diretora editorial Isabel Diegues), que tem 17 anos e está no último ano do colégio e pensa em fazer Comunicação — só não decidiu se vai seguir os passos do pai no Jornalismo ou do avô Cacá no Cinema. A última a chegar ao set foi a pequena Laura, de 1 ano e nove meses, acompanhada da mãe, a jornalista Maria Prata, que está esperando Dora, a segunda filha do casal.

Foto: Reprodução |  Bob Wolfenson

Bial faz graça com o fato de os filhos não terem muitos traços em comum. “Um filho de cada mãe é isso aí. Nenhum é a minha cara. Mas, se olhar bem, o Theo parece comigo quando jovem”, acredita. Os três mais velhos têm também personalidades bem diferentes, para orgulho do pai. “Onde foi que eu acertei? Antigamente, crianças bem-educadas eram aquelas tipo a escadinha de ‘A noviça rebelde’, todas na mesma forma. E olha que sei bem o que é isso, pois tive um bocado de educação prussiana. A cabeça dos meus pais, ambos alemães, era como a daquele pessoal do filme ‘A fita branca’, negócio barra-pesada. Agora, quando olho para os meus filhos e percebo que respeitei — ou que não atrapalhei — as diferenças de cada um, já valeu.”

Ser pai aos 29 ou aos 59 anos, conta Bial, muda muita coisa, menos o amor incondicional. “Acho que com a Laura sou um pouco pai, um pouco avô. Tem uma moleza. Procuro até não me deixar levar, pois não quero estragar a minha filha. Mas, às vezes, é tão gostoso ter uma atitude mais contemplativa. Talvez esteja caricaturando o papel de avô. Talvez simplesmente um pai mais velho seja assim”, diz o apresentador. “Fora a questão física, né? Acho até que estou legal com os meus 61 anos, mas já não sou a mesma coisa que um moleque de 30.”

Bial e Maria conversaram sobre ter filhos no primeiro encontro do casal. "Estava solteiro há cinco anos quando encontrei a Maria, então com 35 anos e o relógio biológico batendo. Ou eu empatava a vida da moça ou... Julguei que, pelo meu amor pela Maria, valia a pena começar tudo de novo”. Maria endossa:  “Realmente, falamos sobre filhos no nosso primeiro jantar. Inicialmente, em tom de brincadeira, mas como o relacionamento evoluiu rapidamente, a conversa ficou séria. A ideia era ter uma só, e agora a Dora vem aí para aumentar ainda mais a família.” A chegada de Dora só faz crescer o comprometimento de Bial com a vida. “Para vê-la atingir a idade da Ana, vou ter que passar dos 90. Não posso ir embora tão cedo. E estou tomando providências para isso ( risos ). A vida se compromete com quem se compromete com ela.”