Nem Te Conto

Pedro Bial diz ter precauções para evitar retorno à depressão

Jornalista, de 60 anos, foi diagnosticado com a doença no ano 2000

Agência O Globo
- Atualizada em

Pedro Bial, que lançou recentemente o livro "Gerações em ebulição" com o filósofo Mario Sergio Cortella, relembrou como foram os dois anos lutando contra a depressão e disse ter precaução para evitar que a doença retorne.


"Na virada do milênio, andei bem ruinzinho, roendo borda de pinico, mas dei a volta por cima com um bom psicanalista, psiquiatra e medicamento. Nunca mais ocorreu, o que é um bom sinal porque, em geral, quem tem depressão uma vez acaba tendo outros episódios. Talvez porque eu já tenho uma certa precaução. Vejo sinais aparecendo e medidas antes que se precipite numa depressão", contou o apresentador ao youtuber Marcelo Bonfá, nesta quinta-feira.

O jornalista, de 60 anos, foi diagnosticado com a doença no ano 2000, e o tratamento prosseguiu nos dois anos seguintes. No dia a dia, no entanto, Pedro Bial volta e meia tem de controlar os sintomas de outro leve transtorno psicológico: "Eu sou um ansioso. Procuro canalizar minha ansiedade para o trabalho, para colocar essa energia para andar. Mas eu tenho que lidar diariamente com minha ansiedade".

Pedro Bial falou ainda sobre paternidade, e se derreteu pela filha, Lauda , de 1 ano e quatro meses. A menina é fruto de seu casamento com Maria Prata. "Nada melhor do que os filhos. Os filhos são a maior coisa da vida. (...) Ela é o maior espetáculo da terra. Tirei janeiro quase todo de férias e fiquei o mês inteiro olhando ela. Não tem Oscar que se compare a ver uma criança de 1 ano e pouco aprendendo um trilhão de coisas por dia e em transformação".