Nem Te Conto

Perdoada por Gleici, ex-BBB Patrícia começa a reverter imagem de vilã do programa

Após os pedidos de desculpa, a ex-sister ouviu muitos comentários enaltecendo sua atitude

Agência O Globo

Sétima eliminada da última edição do "Big brother Brasil", a cearense Patrícia Leitte quase bateu o recorde de rejeição do programa. Eliminada com 94,26% dos votos, em um paredão triplo, ela ficou atrás de Aline (do "BBB 5") por décimos. Mas, ao reconhecer os erros e pedir perdão à campeã Gleici pelos comentários maldosos feitos na casa, Patrícia viu sua fama de vilã começar a ser revertida. "Como mãe, me senti muito melhor ao conversar e me desculpar com a mãe da Gleice. Isso me trouxe paz, ficar bem com elas me deixou feliz", contou Patrícia.

Após os pedidos de desculpa, a ex-sister ouviu muitos comentários enaltecendo sua atitude: "Muita gente escreveu ressaltando a importância de ter humildade, sobre o poder do perdão na vida da gente". Ela diz ainda que recebeu relatos de pessoas que, inspiradas por ela, voltaram a se relacionar com amigos ou familiares com os quais haviam cortado relações. "Me emocionei com vários desses depoimentos. Fico muito feliz de ter tirado lições positivas em tudo isso", garante.

Foto: Reprodução
Vivendo em Fortaleza, a ex-sister está viajando com frequência para o Rio de Janeiro, seja para participar de programas de TV ou para fazer presença vip. "Há alguns meses, nunca pensei que estaria ao lado de celebridades que saberiam quem eu sou. Para mim, é tudo muito surreal. Eles sabem que eu existo e eu fico muito feliz", revela Patrícia, que adorou conhecer a ex-paquita Ana Paula, a Pituxita.

Sobre o encontro, relata: "Nem acreditei quando a vi me chamar pelo nome. Sempre fui loirinha e sonhava em ser paquita. Nunca tive a oportunidade de fazer testes ou pelo menos tentar. Sempre moramos no interior do Ceará e ir para o Sul era muito distante da nossa realidade. Conhecer a Ana Paula foi como voltar à infância e realizar um sonho".

Patrícia só fica triste quando se lembra dos ataques sofridos pelo filho, David, de 11 anos. Mas isso também é página virada. "Já passou, graças a Deus. Não vou processar ninguém. Tudo que fizeram de ruim, eu entrego nas mãos de Deus. Estamos com saúde e em paz, isso é que importa", finaliza a cearense.