Nem Te Conto

'Quarto branco foi uma virada', diz pai sobre Manu Gavassi

Parece que o Quarto Branco deu a cantora um choque de realidade de que é preciso aparecer no jogo

Leonardo Ribeiro e Luana Santiago, da Agência O Globo

Pode até ser que no início do “Big Brother Brasil 20” a estratégia de Manu Gavassi fosse apenas bombar a sua carreira como cantora aqui fora — o que, de fato, tem funcionado, já que sua agenda está cheia de shows com ingressos esgotados. Mas parece que o Quarto Branco lhe deu um choque de realidade de que é preciso aparecer no jogo. Tanto é que a confinada apertou um botão que a levou direto para o paredão. E, veja só: para conquistar a preferência do público contra Victor Hugo e Babu Santana, a paulistana disse com todas as letras que quer mesmo ficar na casa.

Foto: Reprodução | TV Globo 

— Apesar de dizerem que não, sempre vi Manu como uma jogadora, mas no estilo “low profile”. Ou seja, assim como eu, minha filha não faz muito estardalhaço. Então, ela está jogando e vivendo. De qualquer forma, acho que, sim, o Quarto Branco foi um “plot twist” (uma virada inesperada) para Manu — diz Zé Luiz, de 58 anos, pai da cantora.

Foto: Reprodução | Instagram 

O período no castigo do monstro a fez até mudar de comportamento. Primeiro, pelo início de amizade com Felipe Prior e um fortalecimento na relação com Gizelly, seus companheiros no cômodo. Depois, na festa do último sábado, a jovem até bateu boca com Victor Hugo, chamando-o de “falso e dissimulado”, com dedo na cara.

— Eu teria feito a mesma coisa. Uma vez me perguntaram o que Manu não aguentaria, e eu disse: homem que não presta e gente falsa. Minha filha estourou e tinha que estourar. A leitura dela sobre Victor Hugo foi corretíssima, porque ele foi dissimulado — afirma Zé Luiz.