Nem Te Conto

Rodrigo Faro relembra a morte do pai: 'uma barra muito grande'

"Meu pai morreu muito cedo. Meu pai foi vítima da bebida, ele era alcoólatra", contou o apresentador

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

Em entrevista à apresentadora Ana Hickmann, no YouTube, Rodrigo Faro falou desabafou sobre a morte do seu pai, vítima do alcoolismo, e promessa de nunca ingerir bebida alcoólica. 

"Meu pai morreu muito cedo. Meu pai foi vítima da bebida, ele era alcoólatra. Mamãe passou uma barra muito grande cuidando da gente. Eu aprendi a ter responsabilidade muito cedo. Eu me tornei o homem da casa aos 8 anos de idade, quando fiz meu primeiro comercial e peguei o dinheiro e dei para minha mãe", disse o apresentador.

Foto: reprodução

Ana Hickmann questionou como era a relação de Faro com o pai na infância e ele respondeu que guarda as lembranças boas. 

"Eu peguei a fase maravilhosa do meu pai. Meu pai era um cirurgião dentista, dos melhores. Era um pai extremamente amoroso, um marido incrível para a minha mãe, um cara que cuidava da família. Até que uma coisa chamada bebida alcoólica, que deveria estar incluída entre as drogas, porque destrói, mata e acaba com lares e pessoas e gera violência assim como qualquer droga, acabou com tudo, foi mais forte".

O apresentador contou que os últimos anos de vida do pai foram complicados. "Comecei a ver algumas cenas do meu pai chegando em casa, das brigas com a minha mãe, de eu ter às vezes que proteger a minha mãe. Ou a minha mãe pedir para eu descer para o apartamento de outras pessoas com o meu irmão porque a coisa estava complicada. Aí eu comecei a entender o que a bebida faz na vida de uma pessoa".

A situação fez com que Rodrigo Faro optasse por não consumir bebidas alcoólicas. "Hoje, quando vou abraçar alguém e sinto o cheiro de bebida, me leva automaticamente ao cheiro que eu sentia no final quando meu pai me abraçava. Então, eu prometi para mim mesmo de que nunca colocaria um gole de bebida na minha boca. Nunca coloquei, e nunca vou colocar". 

Assista a entrevista: