Nem Te Conto

'Sempre gostei de menina', revela ex-BBB Hana

Participante do 'BBB 19' falou também sobre o romance com Alan enquanto esteve no programa

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A agora ex-BBB Hana abriu sua intimidade e falou sobre questões de gênero. Em entrevista à revista 'Quem', a youtuber afirmou que sempre entendeu o que queria para sua vida.


"Eu sempre gostei de menina, desde criança eu sentia atração. Eu sempre vivi em ciclos sociais muito tóxicos de heteronormatividade e me sentia muito insegura para falar sobre bissexualidade e até sentir isso. Achava que era coisa da minha cabeça. Fiquei com meninas com 14, 15 anos, e viam como uma brincadeira, mas no meu caso não era. Eu comecei a entender depois de um tempo. Eu gosto de gente. Fui me permitindo, fazendo as coisas. Minha família nunca se adaptou a isso, mas hoje em dia está tranquilo. Embora minha mãe ache sempre que é só uma fase. Eu estou disposta a conhecer pessoas, eu gosto de gente. A gente não se apaixona por aparelho reprodutivo', explicou ela.

Ela também falou sobre o romance com Alan, com quem formou um dos primeiros casais da edição: "tudo aconteceu naturalmente. A gente tinha a mesma frequência, a mesma energia. Ele é completamente diferente de mim, ele é quieto, tranquilo, não fala muito. Ele pensa muito antes de falar. E eu sou um furacão, que fala alto. Mas na casa foi uma conexão muito intensa que tivemos. Teve uma troca muito grande, a gente foi deixando tudo rolar. Nossas histórias de relacionamento são muito parecidas. Ele não quer namorar, eu também não. Mas conversamos sobre isso antes de assumir qualquer coisa. Foi muito gostoso. Não ficamos com peso de compromisso, burocracia. A gente combinou que não íamos ficar com mais ninguém, mas a gente estava só curtindo aquele momento. Eu tenho trauma dessas palavras, casamento, namoro, apaixonada. Eu não gosto disso. Me traz um peso enorme. A gente se deixou se guiar por isso tudo. Foi mágico, intenso, leve, surreal! Foi espontâneo. Foi muito bom. Quando eu entrei no paredão ficamos muito abalados. Foi muito intenso também essa parte, fez a gente sofrer muito. Olhando de fora eu tenho certeza que eu sustentava o jogo dele e ele o meu. Teve uma hora que começamos a jogar juntos".