Nem Te Conto

Tatá Werneck emociona com discurso e fala de legalização do aborto

Humorista fez uma fala divertida e crítica ao receber prêmio

Agência O Globo
Ao receber o prêmio Faz Diferença, do jornal 'O Globo', na categoria TV, a atriz Tatá Werneck, grávida de seu primeiro filho, fez um discurso engraçado, como sempre, e também bem político, em uma fala que foi de Kate Middleton à legalização do aborto. Ela subiu ao palco da Casa Firjan carregando um balde com a etiqueta Chanel, uma piada em referência aos enjoos durante a gestação, e logo começou seu dircursó sério e cômico.
— Não sabia se eu conseguiria vir hoje, porque além de estar grávida, eu também estou com uma coisa meio ruim, hiperêmese gravídica, que você passa mal o dia inteiro. Eu fiquei triste, mas descobri que a princesa Kate também teve, aí eu fiquei muito feliz, uma doença muito chique, a gente realmente é muito parecida (...) Eu fiquei pensando por que eu mereço ganhar um prêmio de quem fez diferença na TV, e pensei que, na verdade, foi a TV que fez toda a diferença na minha vida. Antes eu era vista apenas como uma mulher maluca. Os homens eram engraçados e as mulheres malucas. Eu sempre fui a louca da escola, da academia, da igreja. Na TV, foi diferente. O olhar generoso de vocês mudou a minha história. Eu queria muito dedicar esse prêmio para todas as mulheres consideradas malucas que ainda não receberam seus prêmios.
Mais adiante, falou da escolha da mulher em ser mãe, em poder interromper uma gestação: — Para todas as mulheres que ainda passam pela dúvida do momento certo para serem mães. Para as mulheres que ainda não tem ingerência sobre suas gestações, as que têm o direito indelével de não quererem ser mães e ainda são criticadas, porque as pessoas ainda as pressionam como se elas ainda não tivessem cumprido seus papéis de mulheres. É um direito tão legítimo e tão corajoso quanto o de ser mãe.