Nem Te Conto

Thaynara OG fala de Bianca Andrade, Gustavo Mioto, casamento e 'BBB 20'

Influencer comentou também sobre a cirurgia que fez recentemente, crise de ansiedade e aniversário em isolamento

Guinho Santos (guinho.santos@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Conhecida como 'Rainha do Snapchat' e dona de um perfil do Instagram com mais de 4 milhões de seguidores, Thaynara OG participou da Live do projeto #40Tena do iBahia, em parceria com a Bahia FM, na noite da quarta-feira (01). A influenciadora, que é de São Luís, no Maranhão, já iniciou o bate-papo falando sobre tentativas frustradas de pregar uma peça no namorado, o cantor Gustavo Mioto, já que foi 1º de abril, conhecido como o 'Dia da Mentira'.


"Estou arrasada. Sou uma boa mentirosa, só que perdi muito o time. Deu meia noite, você tem que fazer logo. A primeira pessoa que eu mandei foi o Gustavo, sendo que fui lerda. Ele tinha acabado de mandar mensagem: 'amor, amanhã vamos ver filme'. Porque ele coloca o filme na casa dele e eu na minha e a gente vê junto por Facetime. Já tínhamos combinado. Minutos depois, lembrei que era 1º de abril e mandei a mensagem: 'Gustavo, preciso de um tempo, não quero ficar no relacionamento'. Ele: 'o quê? Não tô entendendo, o que você quer dizer com isso?'. Eu: 'preciso ficar sozinha, passar um tempo comigo mesma'. Só que ai ele percebeu e disse: 'não faz essa brincadeira nem em 1º de abril'. Eu me achei muito corajosa e se ele manda um: 'concordo, vamo terminar mesmo'. Então, gente, não façam essa brincadeira porque você pode terminar o namoro mesmo", alertou. 


O relacionamento dos dois, inclusive, se mantém a distância e o isolamento social não mudou muito a rotina do casal: "não muda muita coisa porque é à distância mesmo que a gente namora. Semana passada eu estava em São Paulo, passei quase um mês lá, e quando ele voltou de Orlando teve que se isolar em casa por causa da quarentena, então não podia ir me ver. Acabou que a gente não se viu muito. Mas as técnicas continuam as mesmas: fazemos Facetime, assistimos o filme, cada um colocando em sua sala e colocamos os celulares nos filmando pra gente ir comentando sobre o filme. Fizemos isso outro dia pra assistir 'A Casa'. Inclusive, esse filme é muito bom. Legal pra distrair. Mas precisamos respeitar. É uma forma até de demonstrar amor. Aqui na minha cidade, em São Luís, faz muito tempo que não vejo meus avós, a gente não pode ir lá porque eles são do grupo de risco. Então é até uma demonstração de carinho, respeito e amor".

Ela deixou claro ainda que ainda não sonha em subir ao altar: "eu não me sinto tão pressionada (pra casar) porque eu me acho muito despreparada. Quando eu tinha 15 anos, imaginava que com 25 anos eu já teria casada, com filho... Sendo que quando fiz 25, eu me achava muito despreparada e ainda me sinto assim. Não me vejo pronta pra parir um filho, pra cuidar desse menino, outro ser humano. Ainda não me vejo pronta pra casar e ter todas aquelas responsabilidades novas. Tenho vontade de casar, construir uma família, só que nunca acho que é o meu momento. Eu fico meio assustada quando penso. Meu Deus, me acho muito despreparada. Então pra agora, não". 

O motivo da apresentadora ter ficado um mês em São Paulo foi a cirurgia que fez recentemente. Sobre o fato de ter 'casado' o momento com a quarentena, Thaynara confessou que não esperava e que a situação a levou a passar por uma crise de ansiedade. "Teve o lado 'bom' e bem ruim. Quando eu tinha marcado, acho que ainda estava no primeiro caso do homem que veio da Itália, então ainda estava meio 'controlado' tudo, e eu nunca imaginei que ia bater com o período da quarentena. Se eu soubesse, não teria feito porque me deixou muito ansiosa. O pós-operatório você tem que fazer drenagem, então eu tinha que sair de casa ou para o médico me avaliar nas consultas, ou pra fazer as drenagens e eu ficava nervosa, com muito medo. 'Meu Deus, estou fazendo isso no período errado. Olha o que pode acontecer'. Estava todo mundo lá (família) em São Paulo, fiquei com muito medo dos meus pais. Tive coisas que nunca tive antes, como crise de ansiedade. Eu sabia como era, o que as pessoas sentiam - minha irmã tem -, mas eu nunca tive isso e eu tive porque eu pensava muito sobre, via muito jornal... No dia que eu tive (a crise), eu tinha certeza que estava com os sintomas (do coronavírus). Mediam minha temperatura e estava normal, mas na minha cabeça eu estava com febre. Na madrugada eu passei mal, foi muito estranho. Foi uma loucura, mexeu com minha cabeça. Agora a gente tem regrinhas aqui em casa. Mamãe botou no canal que fica passando missas. Precisamos ter pensamento positivo. A gente tem que ver notícia, mas não direto. Escolhe um momento só e desliga pra ocupar a mente de outra forma. Fazer terapia online também, senão acaba pirando. São muitos pensamentos: penso na família, no mercado, nas família que dependem do meu trabalho também. É muita coisa que se você não tiver com o psicológico bem, você pira", desabafou.

Além da cirurgia, o isolamento social também 'casou' com o aniversário da influenciadora, no último dia 20 de março. Na ocasião, ainda na capital paulista, ela celebrou apenas com a irmã: "foi muito estranho. Primeiro eu não estava em casa e eu sempre digo que gosto de passar meu aniversário recebendo flores, parece um funeral, mas eu amo receber flor. E foi muito estranho porque estava só eu e minha irmã, a Ludmila, sem poder receber ninguém, os abraços dos meus pais, dos amigos. Os fãs mandaram bolo, balões, o pessoal do Multishow mandou flores, uma amiga mandou um bolo também... Senti muito o carinho, mesmo de longe. Meus amigos fizeram surpresa por um aplicativo que ficam dez pessoas na mesma chamada, ai tinha um com vela, outro com bolo, outro com cerveja, chapeuzinho... Mas foi muito estranho. Não fiquei triste, mas quando a quarentena acabar, a primeira coisa que vou fazer é reunir a galera e nunca mais vou recusar nada. Me arrependi todas as vezes que inventei desculpas pra não sair. Vou ser a maior batedeira de pernas. Vou em todo show de Gustavo que ele me chamar. Quando o show acabar, vou pedir pra ir no after".

BBB 20
Quem acompanha Thaynara nas redes, se depara com vídeos engraçados dela sobre o 'Big Brother Brasil'. Fã do programa, ela torceu pra ver Felipe Prior sair no Paredão da última terça-feira (31). A partir de agora, ela não esconde sua torcida. "Neste cenário de agora, quem está indo muito bem é a Rafa (Kalimann) e a Manu (Gavassi). Mas com esse Paredão de agora, eu acho que a Rafa tem mais chance que a Manu. A Rafa é muito coerente, muito centrada. O Babu eu já conhecia, há dois anos a gente gravou um programa no GNT, que a gente disputava R$ 30 mil, o 'Que Marravilha', aula de cozinha. Por mais que a gente estivesse competindo, a gente tinha uma hora pra fazer a prova, ele parava a dele pra me ajudar e ajudar outros participantes. Então ele é uma pessoa que eu tenho um carinho muito grande e que desde aquela época, ele lutava muito por aquele prêmio. Sei que ele precisa e merece mesmo. Reconheço que às vezes ele se atrapalha, se atropela, briga com as meninas e faz uns discursos errados, mas ele tem grandes chances de estar na final junto com a Thelma. Então a final que acredito é essa: Rafa, Thelma e Babu. Fico até na dúvida de quem ganha, mas acho mais em Babu e Thelma", apostou.


Thay também não escapou ao dizer qual seria o participante mais 'planta' da edição: "Sabe qual é a maior planta? O Big Fone! Ele não faz nada. Só tocou duas vezes. A maior planta desta edição é o Big Fone que não faz nada. Era pra estar causando e deixando o povo doido. Por isso, acho que o Paredão acaba sendo muito previsível: Babu, Prior... Porque o grupo lá (das meninas) está grande, sempre mantém um voto, e se não botar alguém que nunca foi antes pro Paredão, o jogo fica muito sem graça. Então o Big Fone é a maior planta. Tô revoltada, pode tirar que já tá fazendo hora extra (risos)". Ela decretou também o maior jogador do programa neste ano: "o maior, sem dúvidas, foi Pyong. O Prior meio que se perdia um pouco. Ele não teve coragem de puxar Marcela pro Paredão. Se ele tivesse feito isso, ele estaria na casa. Talvez se o Pyong estivesse na casa, ele teria feito isso. Eles se perderam no jogo, senão estariam na final. Mas Pyong sabia fazer acontecer ali".

Para quem não sabe, Thaynara quase entrou no 'BBB 20'. Ela revelou ao iBahia que foi convidada para participar da edição comemorativa do reality global, mas não conseguiu aceitar por conta do trabalho. "Em agosto, recebi o convite para esta edição, mas já tinha fechado uns trabalhos no Carnaval que não podia voltar atrás. É um jogo de julgamentos. Na internet a gente já é julgado filtrando o que a gente vai postar, tendo mais cuidados, expondo só aquilo que a gente quer. Imagine o 'Big Brother'? Acho que todo mundo que sai dali, mexe com alguma coisa na cabeça, então não sei se teria essa coragem de entrar no jogo com essa proporção de julgamentos. Não é um jogo fácil, reconheço. Não sei se teria essa coragem e todo mundo que entrou, tem muita coragem. Dou os meus parabéns porque não é fácil. Você pode ser uma pessoa muito querida aqui fora, entra ali e faz uma coisa que alguém não gosta, pronto. É um movimento muito forte de ódio, infelizmente", disse ela, revelando ao lado de quem estaria, caso tivesse entrado na competição: "com certeza mexeria com a minha cabeça que não se conseguiria superar. Desde o início, com certeza estaria o lado de Manu. Não sabia que ela era legal, inteligente e sensata. Sabe aquela pessoa que você mandaria um áudio de três minutos desabafando, esperando pra receber um conselho bom? É a Manu. Eu senti que estaria com ela. O que eu não faria é que tem um ponto no jogo que elas fazem, por exemplo, a Mari. O pessoal fala: 'ah, é planta, tem que sair'. Eu fico com pena porque eu estou achando ela sozinha. Ela tem a Flay, mas a própria Flay não é uma amizade estável, então estou sentindo ela muito triste, pra baixo e sozinha. Eu ali dentro, não deixaria uma pessoa se sentir sozinha. Ia ser muito clara: 'voto em ti, não concordo com sua postura, com seu jeito de jogar, mas não se sente só aqui, vamos conviver pra ninguém fica excluído'. Isso me deixaria muito mal se estivesse ali sozinha, sendo excluída. A Ivy deu também uma afastada dela e eu fiquei com um pouco de dó. Com certeza colocaria ela no colo, mas dando uma puxadinha na orelha. Mas excluir é muito pesado".

Questionada sobre o fato de que alguns convidados levaram problemas de fora para dentro do programa, como Bianca Andrade e Rafa Kalimann, Thaynara garantiu que faria diferente: "se fosse no meu caso, se eu tivesse um problema ali ou que estou mal resolvida aqui fora, eu ia zerar. Pra mim, entrou no jogo é uma situação nova, então eu ia zerar. Eu ia ficar tranquila. Se já tive problema com essa pessoa ou outra, uma situação não foi legal e tal... O que aconteceu com elas, não sei foi algo tão grave assim pra não zerar, sabe? Lá, é um jogo novo. Não tem que trazer de fora pra dentro do programa. Até porque, a massa que acompanha o programa, muitos não conhecem, não sabem suas histórias de fora. Não é nem justo levar coisa de fora porque pode parecer estratégia. O ideal seria ter uma conversa e tentar zerar mesmo. 'Oh, aqui vamos tentar conviver'. Não tem coisa pior estar em um lugar com uma pessoa que tu não gosta, imagine ter que conviver três meses com ela? Faltou isso".


Por sinal, a influenciadora deixou claro que a situação que teve com Boca Rosa não a atrapalharia se estivessem confinadas juntas. "A Bianca eu já fui muito amiga, a gente se afastou, mas se eu tivesse entrado, a gente ia zerar ali. É um jogo, uma nova história. O resto das meninas eu conheço a Gabi, a Rafa, a Mari, o Babu e o Pyong. Eu ia tentar zerar (com ela) porque não faz sentido", afirmou. Thay acredita também que a presença de convidados não foi algo ruim e aposta que o diretor Boninho vai repetir o feito: "quando saiu o formato deste 'Big Brother', todo mundo falava que ia ter vantagem. Gente, não tem nada a ver. Primeiro, a gente acha que a internet é o total de tudo e não é. O público de um canal de TV aberta é gigante e fora da bolha da internet. Então quando você entra, mesmo tendo um público da internet, você meio que zera o jogo. Você vai criar um público a partir dai. Tem a vantagem de criar 'barulho', montar mutirão de votos, mas isso não define o jogo no sentido de salvar de Paredão e ir pra final. Tanto é que vários convidados já saíram. Então isso ai eu já sabia que não ia definir nada. Até mesmo o que serve de guia pro jogo, são as atitudes na casa. Você pode ser uma pessoa muito querida aqui fora, ter um trabalho e ser admirado, mas se lá dentro você se perder e jogar errado, zerou. Não tem isso de considerar a história daqui de fora. O que vale é a história lá dentro. Achei que foi uma ideia genial do Boninho, levou a galera da internet pra lá... Foi a edição que eu mais acompanhei. Legal que você reflete sobre várias coisas e desmistifica a figura pública. Você vê que é um monte de ser humano, com erros, com acertos, com falhas... A tendência é que eles sigam com esse formato que deu muito certo".

Assim como muitos internautas, a maranhense torceu para ver dois casais no 'BBB 20': "eu queria. Adoro uma fanfic. Amo! No meu tempo livre, fico no Twitter vendo. Queria muito que acontecesse entre Daniel e Prior, só que questionaram ele, ele nem sabia e Daniel também nem tinha percebido nada. Eu shippei muito a Gizelly com a Marcela. Queria muito que tivesse dado certo, elas iam ganhar porque o Brasil ia 'comprar' muito elas duas".  Um internauta, então, quis saber se ela aceitaria ir na próxima edição do reality: "aqui fora eu sou a maior jogadora, mas lá eu estaria totalmente perdida. Eu acho que não. Sou muito estressada. Com certeza seria o Babu brigando por feijão. Se pegassem minha toalha, ficaria 'p***'. Imagina isso todo dia, em rede nacional? É difícil. Hoje não. É um jogo de julgamento, o povo ia me cancelar".