Nem Te Conto

Tierry abre o jogo sobre criação de músicas e declara sua torcida no BBB: 'grande amigo'

Recentemente, o cantor viralizou nas redes sociais com a música 'pergunte se a Lumena autorizou', que faz referência a uma participante do reality

Lívia Oliveira (livia.oliveira@redebahia.com.br)

As músicas "Eu Já Peguei Coisa Pior", "Rita" e, agora, "Pergunte Se a Lumena Autorizou', que faz referência a uma participante do BBB 21, são a prova carimbada de que Tierry acompanha as tendências e fica ligadinho no que interessa seu público. 

Em conversa com o iBahia, o cantor baiano falou sobre a carreira, suas inspirações para compor e deu sua opinião sobre cultura do cancelamento - prática de deixar de seguir e/ou criticar uma outra pessoa nas redes sociais com a finalidade de puni-la por um erro considerado grave. Ele também deixou claro para quem vai sua torcida no reality da Globo. 

Carreira e composição das músicas 

Para o portal, Tierry, que já foi vocalista da banda Fantasmão, relembra o início da carreira musical e como foi o processo de transição do pagode para sofrência.  "Eu sempre gostei de música romântica, sertanejo, arrocha, sofrência. Mas, a oportunidade que eu tive quando cheguei em Salvador para fazer faculdade e comecei a cantar foi de tocar swingueira, o pagodão, e foi massa", relembra. 

Tierry relembra comenta mudança de estilo musical | Foto: reprodução / Instagram

O divisor de águas na carreira de Tierry foi a música "quebrar e arrochar", que gravou com Pablo. "Ali eu acabei decidindo o que eu queria, que era cantar arrocha e sofrência, até porque via que conseguiria ir mais longe. Alcançar outros estados pelo meu país e até outros país, como vem acontecendo". 

Para compor inspirações não faltam. O artista explica que busca acompanha o que acontece na sociedade e também se inspira nas pessoas. "Tem músicas inspiradas em pessoas próximas, em algumas coisas que acontecem comigo, mas a maioria é inspirada no povo. Em histórias do povo ou em histórias um pouco de exageradas, que a gente cria na cabeça", revela. 

Conhecido pela habilidade de lançar hits, Tierry garante que tenta sempre se atualizar e que tem as redes sociais como uma aliada para criação. "Vou muito no que está rolando e na música tem isso de licença poética. A gente não tem que se privar de nada", acrescenta. 

Ele ainda conta que faz as músicas muito no "vamos ver no que vai dar", mas que o tempo de carreira ajuda. "Com o tempo a gente vai pegando experiência e tem uma base do que as pessoas gostam e vai dando cada vez mais certo". 

Música para Lumena Aleluia e torcida para ganhar o BBB 21 

Tierry tenta sempre se atualizar | Foto: reprodução
Para quem acompanha o Big Brother Brasil e não perde os memes do reality nas redes sociais, o "Lumena autorizou" se transformou em um clássico da web, tem até filtro no Instragram. A repercussão das atitudes da sister no programa foi tanto que serviu de inspiração para Tierry criar o "Pergunte se a Lumena autorizou". 

O hit traz trechos como "cuidado aí na hora de beijar, pergunte se a Lumena vai autorizar" e "a militância dela vai doer igual a moda que eu faço pra sofrer". 

De acordo com o cantor, ele fez a música mais para entrar na resenha do momento e divertir a galera. "Eu gosto muito de satirizar as coisas. Publiquei o vídeo da música na resenha, a gente não tem a intenção de gravar e nem de lançar. Foi mais para brincar", explica. 

Ao iBahia, Tierry conta que percebe que o reality show é o assunto do momento. "Todo lugar as pessoas falam de BBB. A música [quando tem lançamento de hit] ficou em segundo ou terceiro", avalia. 

Com relação a sua torcida para o (a) ganhador (a) do prêmio de um milhão e meio, o cantor não fez rodeios. "A minha torcida sem dúvidas vai para o Rodolffo. Ele é um grande amigo, um colega de trabalho, que já conheço há muito tempo e, inclusive, eu ia participar do dvd dele, mas tive covid e não pude ir no dia. Fiquei sentido, mas depois nos encontramos em outros eventos. Ele é um cara especial".

Cultura do cancelamento 

O BBB 21, assim como outros realitys, trazem sempre a possibilidade de debater assuntos da nossa realidade. Nesta edição, a cultura do cancelamento e suas consequências para as pessoas envolvidas vem sendo muito debatida. 

Para Tiery, isso é algo muito duro. "É uma forma de opressão e, o pior, que muitas vezes vezes parte de pessoas que já foram oprimidas. É aquela coisa de 'quando é com a gente doí e com os outros não' e isso é muito complicado. As pessoas têm perdido a empatia". 

O artista revela que já passou por situações complicadas nas redes sociais. "Já aconteceram situações comigo de tentarem me cancelar, mas eu acho que tudo passa. As coisas vão se resolvendo. E eu acho que cancelamento é a maior bobagem, as pessoas esquecem que elas também erram". 

Ouça a música "Pergunte se a Lumena autorizou"