Nem Te Conto

Wesley Safadão assume que traiu Mileide com Thyane: 'Não estava mais feliz'

Cantor deu uma entrevista para o programa 'Conexão Repórter' (SBT), na noite desta segunda-feira (12)

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Na noite de segunda-feira (12), o jornalista Roberto Cabrini exibiu em seu programa, 'Conexão Réporter' (SBT), o caso que envolve a família do cantor Wesley Safadão. O forrozeiro confirmou que, quando ficava com Thyane, ainda estava casado com Mileide e os fãs da ex, não o perdoam por isso. "Eu tava na fase do fim do relacionamento. Eu já não estava feliz, vivíamos uma crise, então o erro foi não ter finalizado 100%. Então, chegou um período que eram as claras mesmo. Eu falava que ia trabalhar mais cedo, mas aí ela não sabia de fato o que eu estava fazendo", disse.  

Foto: Reprodução | Instagram
Em meio a polêmica, alguns perfis falsos foram criados nas redes sociais para atingir o artista e a sua atual esposa, Thyane Dantas. Um grupo de mulheres usavam a internet para atacar o casal e o motivo dos haters era a separação mal resolvida entre Safadão e Mileide Mihaile.  

Quando resolveu colocar a 'boca no trombone', a ex-mulher de Safadão pontuou que o cantor queria diminuir o valor da pensão do filho, Yhudy e foi a partir daí que a confusão começou. "Eu nunca deixei faltar nada pro meu filho. As pessoas criaram uma imagem de mim que eu sou mesquinho e não é verdade", declarou o artista. 


O casamento do cantor com Mileide Mihaile durou oito anos e terminou com acusações de traição e conflitos. Os ataques começaram quando Wesley se afastou de Mileide, e se uniu a Thyane, com quem hoje tem dois filhos. As ofensas e difamações se multiplicaram e, ao passar dos dias, as postagens só pioraram. A mãe de Wesley, Dona Bill, decide comprar a briga. Gastou tempo e muito dinheiro para descobrir o submundo da internet e desvendar os rostos por trás de perfis falsos.

Durante a entrevista, Cabrini entrou em contato com as mulheres que criaram uma verdadeira rede "fake" para promover os ataques. Sem querer se identificar, uma moça que fez parte do grupo revelou que não pensou nas consequências quando resolveu entrar no caso. "A única coisa que posso dizer é que estou arrependida", finalizou.