Novelas

'Bom Sucesso': Diogo ordena mortes de comparsas

De acordo com a colunista Patrícia Kogut, tudo começará quando o vilão, com a ajuda de um amigo policial, contratar os bandidos para um assalto à mansão de Alberto (Antonio Fagundes)

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br)
Nos próximos capítulos de "Bom sucesso", Diogo (Armando Babaioff) ordenará que um grupo de criminosos seja assassinado. As informações são da colunista Patrícia Kogut, do Jornal O Globo.
Foto: Reprodução | TV Globo
De acordo com a jornalista, tudo começará quando o vilão, com a ajuda de um amigo policial, contratar os bandidos para um assalto à mansão de Alberto (Antonio Fagundes). Diogo ainda forjará um vídeo em que eles incriminam Paloma (Grazi Massafera). 
Ainda segundo a colunista, com a gravação em mãos, ele exigirá que o editor demita a costureira. Caso contrário, prometerá denunciá-la à polícia. Sem saída, Alberto cederá à chantagem e mandará a moça embora. Dias depois, ele contará toda a verdade para Marcos (Romulo Estrela), que passará a investigar a história.
O irmão de Nana (Fabiula Nascimento), então, localizará um comparsa dos criminosos e conseguirá recuperar um anel roubado, que pertencia à sua mãe. Ele voltará para casa e comentará com o pai que está próximo de provar a inocência de Paloma. Diogo vai flagrar a cena e ficará em pânico. Em seguida, ligará para o amigo policial:
- Tem alguém investigando o nosso acerto com aquela bandidagem do assalto. Se vira que o nosso tá na reta.
- O meu, você quer dizer - responderá o agente.
- Eu posso perder a minha licença, Pessanha!
- Dane-se a sua licença!
- Tá, nós dois, a gente vai se ferrar. Você tem que dar um jeito nisso!
- Tudo bem. Vou resolver essa parada. Deixa comigo.
Conforme Kogut, numa cena adiante, o advogado chegará à editora e encontrará Marcos e Nana conversando aflitos sobre o assassinato dos criminosos.
- Os caras que assaltaram a mansão foram mortos? Já? Quer dizer, como assim? - questionará o vilão.
- Foram assassinados na cadeia - responderá Marcos.
O rapaz acrescentará que estranhou o fato de as mortes acontecerem justamente quando ele estava tão próximo de descobrir a verdade. Diogo disfarçará:
- Por quê? Eles devem ter mexido com o cara errado ou se metido numa briga de facções. Infelizmente, esse tipo de coisa é normal no nosso sistema carcerário.
- Eu não vou desistir de provar que a Paloma é inocente - garantirá Marcos.