Novelas

'Bom Sucesso': Paloma fica chocada ao saber de passado de Alberto, diz colunista

De acordo com Patrícia Kogut, tudo começará quando a costureira for demitida após uma armação de Diogo (Armando Babaioff)

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br)
Nos próximos capítulos de "Bom sucesso", Paloma (Grazi Massafera) ficará chocada ao ouvir histórias sobre o passado de Alberto (Antonio Fagundes). As informações são da colunista Patrícia Kogut, do Jornal O Globo.
Foto: Reprodução | TV Globo
De acordo com a jornalista, tudo começará quando a costureira for demitida após uma armação de Diogo (Armando Babaioff). Dias depois, ela será procurada por Eric (Jonas Bloch), um rico empresário e inimigo do editor. Ele revelará que foi amigo de Alberto no passado e que gostaria de lhe contar a verdade sobre quem é ele:
-  Quando era jovem, eu sonhava em ser escritor e estava terminando meu primeiro romance. Primeiro e único. Foi quando eu conheci o Alberto. Nós dois éramos de Madureira, aqui perto. Ele trabalhava como vendedor para uma editora e também gostava de ler. Isso nos aproximou. 
Conforme Kogut, neste momento, será exibida uma sequência em flashback dos dois jovens e Eric continuará falando: 
- A gente sempre se encontrava para tomar cerveja e conversar sobre literatura. Viramos amigos, até o dia em que Alberto conheceu Cecília.
- Cecília? A esposa dele... - completará Paloma. 
- Mas antes disso ela era minha noiva - acrescentará o empresário. 
Ele afirmará, então, que Alberto seduziu Cecília às escondidas, e acrescentará:
- Ele é capaz de tudo. Ouve só. O Alberto ficou sabendo de uma pequena editora que andava mal das pernas. Ele me convenceu a emprestar dinheiro para comprar essa editora com a promessa de me colocar como sócio e lançar o meu livro.
- E o senhor emprestou? - questionará a costureira.
- Fiquei na dúvida, mas Cecília me convenceu. Não sei se na época ela já estava se encontrando com o Alberto, mas é bem possível. Entreguei todo o meu dinheiro e Alberto comprou a editora que acabou se tornando a Prado Monteiro - afirmará Eric. 
- E o seu livro? A sociedade? - perguntará a mocinha. 
- Nem sociedade, nem livro, nem nada. Cheguei a consultar um advogado, mas como era tudo de boca, na base da confiança, não tinha o que fazer - ele comentará.
Paloma ficará chocada ao ouvir a história e perguntará sobre o que houve com o livro.
- Naquela época não tinha computador, e eu, estúpido, não tinha nenhuma cópia, só o original que entreguei para Alberto - explicará o homem. 
-  E ele não te devolveu?
- Nunca. Disse que tinha ido pro lixo, por engano. Mas que eu não precisava ficar chateado porque o livro era péssimo. E assim ele destruiu os meus mais caros sonhos de juventude.
- Não consigo imaginar o Seu Alberto fazendo isso. Mas também não achava que ele fosse me demitir daquele jeito. Sem nem olhar para minha cara - dirá Paloma. 
- O Alberto é assim. Ele usa as pessoas e depois descarta quando não interessa mais - concluirá Eric, deixando Paloma baqueada.