Novelas

Kayky Brito volta às novelas da Globo como vilão em 'Verão 90'

Para dar vida ao novo personagem, Kayky fez workshops com o elenco e leituras de texto

Patrícia Kogut, de Agência O Globo

Kayky Brito voltará às novelas da Globo em "Verão 90". Na trama de Izabel de Oliveira e Paula Amaral, ele viverá Candé, um playboy dos anos 1990 e sócio da TopTV, um canal dedicado a videoclipes.

Foto: Divulgação

- Ele é uma pessoa rude, que não enxerga que está fazendo mal ou magoando alguém. Tem um lado obscuro, é um vilãozinho. É meu primeiro personagem mau-caráter. O Xongas, de 'Sete pecados', era um malandro, que não teve acesso a educação. Terminou feliz, ao lado da namorada (Estela/Cecília Dassi). Já o Candé tem uma maldade - explica o ator.

Para dar vida ao novo personagem, Kayky fez workshops com o elenco e leituras de texto. E, como Candé será amante de jiu-jítsu e do surfe, o ator conversou com esportistas como o lutador Sergio Jardim, o Malibu, e o surfista Rico de Souza.:

- Vários personagens da história vão surfar, então, me reuni com outros atores para praticar. Também já fiz jiu-jítsu e estou na faixa azul. Para mim, o esporte é uma religião. Me acalma e me faz feliz.

No período em que ficou fora do ar, Kayky aproveitou para fazer cursos no exterior. Assim que retornou de Nova York, onde teve aulas de teatro, recebeu o convite para a novela.

- Mas nem sempre é assim. Faço muitos testes e recebo 'não'. São dez testes e dez 'não' até chegar um convite - afirma ele, acrescentando que as respostas negativas não o desanimaram. - São motivadoras.

Velho conhecido do público - ele estreou na TV em "Chiquititas", em 2000 -, Kayky, de 30 anos, diz não se importar com o assédio.

- Sinto que os telespectadores têm um carinho por mim e isso me engrandece - comenta ele, que procura manter uma relação com os fãs pelas redes sociais. - Troco mensagens com pessoas que nunca vou ver na vida. Elas estão próximas e, ao mesmo tempo, distantes. 

O ator, aliás, recebeu várias mensagens de apoio ao revelar no Instagram, na semana passada, que seu pai, Valmir Fernandes, faleceu:

- Temos que aceitar que as perdas acontecem naturalmente. O que vale é o que gente viveu. A vida é uma só e temos que aproveitar os momentos. O importante é o legado que deixamos.