Novelas

Mateus Solano sobre nudez: "para contar uma linda história, mostro até o meu útero"

Na cena, o ator apareceu nu e, sob tortura, entregou Tiradentes (Thiago Lacerda) à condenação e morte

Agência O Globo
"Fiz da melhor forma possível. Se for para contar uma linda história, eu mostro até o meu útero", brinca Mateus Solano sobre a cena de ontem na novela 'Liberdade, liberdade' em que seu personagem, José Maria Rubião, apareceu nu e, sob tortura, entregou Tiradentes (Thiago Lacerda) à condenação e morte, por ser um inconfidente contra a Coroa. Em destaque num dos momentos surpreendentes do primeiro capítulo da novela das 11, o ator minimiza polêmicas e burburinhos advindos do fato de seu corpo ter ficado em exposição em rede nacional.
Foto: Reprodução/TV Globo
"Com o mundo e o Brasil do jeito que estão, quem vai dar atenção para a minha bundinha? Que bobagem! Em “Gabriela” (2012), Mundinho Falcão já tinha mostrado meia bunda minha! Se eu me deparar com memes da cena, vou rir. Mas, se a bola for maldosa, eu não vou rebater, só lamentar. Vou te dizer que o cavalo me foi muito mais perigoso do que ficar pelado", diz Solano, mostrando o braço imobilizado, devido a uma queda durante cavalgada na trama: "mas já estou muito bem, fazendo a fisioterapia. Para gravar, tiro a tala e seguro com a outra mão."
Para encarnar Rubião, dono de porte físico imponente, Solano achou prudente se dedicar à musculação e ao boxe. Numa conversa com o diretor geral da novela, Vinicius Coimbra, os dois vislumbraram seu personagem com ombros mais fortes e largos que os do ator, que também aprendeu a lutar esgrima e a atirar. Hoje à noite, inclusive, ele coloca em prática o que aprendeu com uma arma em punho: com um tiro, dá fim à vida de Antônia (Letícia Sabatella), que deu à luz Joaquina (Mel Maia/Andreia Horta) depois de um caso com Tiradentes.
"Rubião é mau, inescrupuloso, um político daqueles! É um oportunista, que nunca virou a casaca: sempre esteve do lado dele mesmo. Delata o pai e mata a mãe de Joaquina e depois se apaixona por ela. Tudo, sem ela saber quem ele é e vice-versa. Só aí já temos uma novela e tanto!", conta.
Foto: Divulgação/TV Globo
De volta às novelas três anos após o papel de maior sucesso de sua carreira, Solano conta que o afetado Félix de “Amor à vida” ainda se faz muito presente na relação com seu público, e que não pretende apagá-lo de uma hora para a outra.
"Quem viu Félix não vai esquecê-lo tão facilmente, mesmo que eu interprete dez, 20 personagens. Às vezes, dou pinta e falam que é trejeito dele. Não! A pinta é minha, gente! (risos)", brinca o ator, casado com a atriz Paula Braun, de 36, há oito anos e pai de Flora, de 5, e de Benjamim, de 11 meses: "quem me assedia ainda hoje perdeu o bonde. Sou muito bem casado e todo mundo sabe. Tem quem fale “Ui, que maravilha!” e emende com “Desculpa aí, Paulinha”.
Antes de Rubião, Solano se divertiu e fez rir como Zé Bonitinho, na nova versão da “Escolinha do Professor Raimundo”. Em agosto, ele volta a gravar o humorístico, para sua segunda temporada. "Foi muito bom fazer uma coisa diferente entre um personagem e outro", diz o ator, que ainda não enxerga humor em seu novo papel: "mas estou tentando humanizá-lo. Ninguém pode ser tão cruel."
Se até o vilão gay, que apavorou o público nos primeiros capítulos da novela das nove, abandonando a sobrinha bebê numa caçamba de lixo, conseguiu sua redenção pelo amor a Niko (Thiago Fragoso), um romance com a heroína de “Liberdade, liberdade” não poderia fazer Rubião também cair nas graças do telespectador? "Os homens maus também se apaixonam... Essa é uma porta aberta, sim, para a aceitação do público. Mas, assim como eu não estava preparado para tamanha repercussão com Félix, tudo pode acontecer agora. Preparado, eu não estou para nada."